Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nos últimos cinco anos fugiram 52 reclusos das cadeias portuguesas

O Estabelecimento Prisional de Caxias, em Oeiras, é classificado como de segurança alta e está vocacionado sobretudo para reclusos preventivos

Nuno Botelho

As estatísticas indicam que no ano passado ocorreram cinco operações de fuga que envolveram seis reclusos e que em 2015 fugiram dois presos das cadeias portuguesas

Nos últimos cinco anos fugiram 52 reclusos das cadeias portuguesas, tendo esta madrugada ocorrido a primeira evasão de 2017, com três detidos em fuga do estabelecimento prisional de Caxias.

Os dados foram divulgados este domingo pela Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais, após a fuga dos três reclusos que estavam presos preventivamente em Caxias, no concelho de Oeiras. As estatísticas indicam que no ano passado ocorreram cinco operações de fuga que envolveram seis reclusos e que em 2015 fugiram dois presos das cadeias portuguesas.

Em 2014 evadiram-se 11 reclusos, em 2013 registaram-se sete evasões num total de nove evadidos e em 2012 verificaram-se 14 evasões com 23 reclusos.

A direção-geral sublinha que todos os reclusos evadidos nos últimos cinco anos, à exceção dos desta madrugada em Caxias, foram recapturados.

Após a fuga deste domingo, a DGRSP emitiu uma nota na qual explica que os reclusos conseguiram fugir a partir da janela da cela, ocupada por quatro detidos e que estavam presos preventivamente por furto e roubo.

De imediato, segundo a nota, foi instaurando um processo de averiguações, a cargo do Serviço de Auditoria e Inspeção da Direção Geral.

O estabelecimento prisional de Caxias, situado no concelho de Oeiras, é classificado como de segurança alta e está vocacionado essencialmente para reclusos preventivos.