Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Escolas de Setúbal encerradas devido ao incêndio em armazém de enxofre

RUI MINDERICO/LUSA

Mais de 24 horas depois do incêndio, na quarta-feira ainda continuava a ser libertado dióxido de enxofre para a atmosfera dos armazéns da Sapec Agro, em Mitrena, que terá chegado até ao Porto

Face às recomendações da Direção Geral de Saúde, a Câmara de Setúbal mandou encerrar esta quinta-feira todas as escolas do concelho, de todos os graus de ensino, devido às consequências do incêndio dos armazéns de enxofre da Sapec Agro, em Mitrena, na terça-feira.

Na quarta-feira, mais de 24 horas depois do incêndio, continuava a ser libertado dióxido de enxofre para a atmosfera.

Uma investigadora disse à agência Lusa que as concentrações do poluente dióxido de enxofre acima do habitual, devido ao incêndio, chegaram até ao Porto, mas que os níveis estavam a voltar ao normal.

“Verificou-se que, em determinadas horas, após o início do incêndio nas instalações da Sapec foram registados níveis bastante mais elevados que aqueles considerados normais em várias estações” de medição da qualidade do ar, explicou à agência Lusa Joana Monjardino, do departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova.

O incêndio, que deflagrou cerca das 3h de terça-feira num armazém de produtos de enxofre, um produto abrasivo e tóxico, provocou ferimentos ligeiros em seis bombeiros.

Mais de 10 veículos e 13 homens permanecem esta quinta-feira nos armazéns da Sapec Agro, que ardeu na terça-feira, um incêndio que obrigou populações de algumas localidades a ficar em casa devido à poluição do ar.

Segundo fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, pelas 7h30 permaneciam no local 12 veículos e 13 operacionais, incluindo bombeiros e condutores das máquinas utilizadas nas operações de rescaldo nos armazéns de enxofre, um produto tóxico.

Os efeitos do incêndio na poluição do ar obrigou as autoridades de saúde a aconselhar as populações a protegerem-se devido aos elevados níveis de dióxido de enxofre, tendo o diretor-geral da Saúde, Francisco George, esclarecido na quarta-feira que crianças, idosos e doentes com problemas respiratórios crónicos ou cardiovasculares não devem sair de casa e devem manter as janelas fechadas.

Numa conferência de imprensa na tarde de quarta-feira, Francisco George disse que a situação deveria estar normalizada nas 12 horas seguintes, o que terá acontecido durante a madrugada de desta quinta-feira.