Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mais de 20 homens e 11 veículos no rescaldo do incêndio em armazém de enxofre

RUI MINDERICO/LUSA

No local permanecem ainda em operações de rescaldo elementos dos bombeiros de Palmela, dos Sapadores de Setúbal e da GNR

Mais de 20 homens e 11 veículos permanecem no armazém da Sapec Agro, em Mitrena (Setúbal), que ardeu na quarta-feira, um incêndio que obrigou as populações de algumas localidades a ficar em casa devido à poluição do ar.

Segundo o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), o incêndio está dado como dominado, desde terça-feira, mas no local permanecem ainda em operações de rescaldo elementos dos bombeiros de Palmela, dos Sapadores de Setúbal e da GNR.

O incêndio, que deflagrou cerca das 3h de terça-feira num armazém de produtos de enxofre, um produto abrasivo e tóxico, provocou ferimentos ligeiros em seis bombeiros.

A poluição do ar obrigou as autoridades a aconselhar as populações das freguesias de Praias do Sado e Faralhão e, mais tarde, da freguesia de Gambia, Pontes e Alto da Guerra a ficarem em casa.

A qualidade do ar na zona de influência do incêndio acabou por ficar restabelecida na noite de terça-feira, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que explicou que o fogo fez libertar para a atmosfera dióxido de enxofre.

O poluente foi "monitorizado em contínuo através das estações de qualidade do ar existentes no território nacional", explicou a APA num comunicado emitido na noite de terça-feira, acrescentando que devido aos ventos a nuvem poluente foi arrastada para norte, atravessou a Reserva Natural do Estuário do Sado e atingiu a zona de Vila Franca de Xira.

Em Vila Franca, na estação de Alverca, registaram-se entre as 8h e as 12h, valores elevados de concentração de dióxido de enxofre, com um pico às 11h.

Fonte da Direção-Geral da Saúde tinha sito à agência Lusa que até meio da manhã de terça-feira os valores registados não tinham excedido os de referência.

A APA estima que os níveis elevados de dióxido de enxofre na proximidade da fábrica tenham acontecido durante a noite de segunda-para terça-feira (o incêndio deu-se às 3h), o que terá diminuído a exposição das pessoas ao poluente.

E garante que desde as 14h os valores observados nas estações fixas de qualidade do ar "decresceram significativamente, encontrando-se a situação controlada".