Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Metro de Lisboa ajuda a pagar borla de Medina

Tiago Miranda

Empresa pública assume parte dos custos dos passes gratuitos ou com maiores descontos, duas novidades da passagem da Carris para a Câmara

A atribuição de passes gratuitos a crianças até 12 anos (com acesso a Carris e Metro) e de descontos de 60% no Navegante Urbano, para pessoas com mais de 65 anos e reformados/pensionistas (passe que permite circular nas mesmas duas empresas e na área urbana da CP), será suportada pelos operadores envolvidos.

Os custos daquelas duas medidas — amplamente divulgadas esta semana pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, quando da entrega pelo Governo à autarquia da propriedade e gestão da Carris — “fazem parte do rácio operacional das empresas” que aderem a tais títulos, assume fonte oficial do Metro, em resposta a questões do Expresso.

A empresa pública, cuja possibilidade de “municipalização” chegou a estar em cima da mesa no mesmo processo negocial que envolveu a Carris, diz agir dentro da orientação do Governo, “empenhado no desenvolvimento de políticas que alterem a perceção do funcionamento do sistema de transportes, tornando-o mais acessível e apelativo”.

No caso do passe gratuito, “isentar as crianças” irá no futuro “potenciar a utilização dos transportes coletivos”, diz o Metro.

Esta empresa não revelou qual o custo anual das medidas de relançamento da Carris.

Já a comparticipação da CP nesta engenharia é “muito residual”, sublinha fonte da empresa, pois “qualquer pessoa acima de 65 anos já tem 50% de desconto em qualquer bilhete”.