Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Trump toma um medicamento que faz crescer o cabelo, diz o seu médico

Christopher Furlong / Getty Images

A entrevista dada por Harold Bornstein ao “New York Times” contém algumas afirmações, no mínimo, invulgares

Luís M. Faria

Jornalista

Afinal, o cabelo de Donald Trump é todo dele, original. Assim garante o médico que o trata há 36 anos.

Harold Bronstein, com escritório em Manhattan, foi o autor de um sumário médico que admitiu ter sido preparado a correr, enquanto um carro esperava no exterior do seu escritório, ainda durante a campanha eleitoral. Esse sumário descrevia o então bilionário como a pessoa mais saudável que jamais se candidatou à presidência. Agora, Bronstein falou ao “New York Times” sobre o seu doente mais famoso (o jornal americano faz esse género de entrevistas quando há um novo Presidente) e contou que Trump toma um medicamento que contém finasterida, normalmente usada em problemas de próstata.

Nos EUA, os medicamentos, após serem oficialmente autorizados para tratar uma doença qualquer, podem ser usados noutras – e é isso que acontece com Trump. Bronstein, que tem 69 anos (um a menos que Trump) exibe cabelo que lhe dá pelos ombros. Garante que, tal como em Trump, isso é o resultado de tomar finasterida. "Ele tem todo o seu cabelo, eu tenho todo o meu cabelo".

Além de impulsionar o crescimento capilar, a finasterida ajuda a baixar os níveis de PSA, um marcador de cancro na próstata. Quando a campanha de Trump publicou alguma informação médica sobre o candidato no ano passado, o nível de PSA registado, 0.15, chamou a atenção por ser muito baixo. Na altura especulou-se que no passado ele poderia ter sido operado à prostata. Bronstein nega, e a informação que agora dá, a ser verdadeira, ajuda a explicar.

"Podem ir morrendo"

Trump toma ainda medicamentos para o colesterol e para uma doença de pele, a rosácea. Mede 1.90 metros, pesa 107 quilos e tem uma tensão arterial normal, de 117/70. Bornstein diz desconhecer se vai continuar a ser o médico do novo Presidente. Foi convidado para a tomada de posse, mas ele e a mulher ficaram o tempo todo de pé e num local onde não ouviam ninguém falar. Acabaram por abandonar a cerimónia mais cedo. Propôs-se para médico oficial da Casa Branca, mas até agora ainda ninguém lhe disse nada, nem lhe pediram os registos médicos de Trump.

Além de tratar o bilionário, que faz check-ups anuais, Bornstein também é médico da primeira e terceira esposas de Trump. Diz que deve ser a única pessoa no mundo que tem todos os números do Presidente e das suas mulheres.

Noutra declaração algo estranha, feita em dezembro, o médico já tinha reconhecido que não o preocupa a possibilidade de Trump morrer no cargo. "Se acontecer, acontece. É como todos nós. É para isso que temos um vice-presidente e um presidente da Câmara dos Representantes e toda uma fila de pessoas. Podem ir morrendo".