Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PSP está a contar as armas de todos os operacionais

Agente da PSP de Vila do Conde matou um suspeito

Ana Baião

Direção nacional quer confirmar o número de registo das armas de todos os operacionais. Alerta foi feito depois do roubo de uma Glock da PSP, que já foi localizada

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O pedido foi feito no início desta semana depois de uma Glock da PSP, que havia sido roubada, ter sido recuperada numa operação policial realizada recentemente no norte do país. Todos os agentes têm de levar as armas que usam no dia a dia aos comandantes de esquadra para que seja verificado o número de registo.

O objetivo, garante uma fonte oficial da PSP, é o de cruzar informações para que se confirme que cada uma dessas armas esteja identificada no sistema interno da Polícia. E tentar perceber a quem pertence a pistola que foi detetada "numa busca na zona do Porto", de acordo com o "Correio da Manhã".

Descontando os 700 funcionários civis e mais algumas centenas que estão de baixa ou noutros organismos da administração pública, serão 18 a 19 mil os agentes que têm uma arma e por isso estão abrangidos por esta medida, que é designada de 'conciliação de registos' ou 'conferência de material'.

Ao que o Expresso apurou, esta terá sido a primeira vez que a PSP fez um pedido destes a nível nacional.