Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Poluição de veículos a diesel é especialmente lesiva para atenção das crianças

PHILIPPE DESMAZES/AFP/Getty Images

Uma equipa de cientistas demonstrou que a exposição diária a altos níveis de dióxido de nitrogénio e de carbono atrasam a velocidade natural de resposta dos menores

A exposição diária a agentes de poluição afeta a capacidade de atenção das crianças – foi a conclusão do estudo de cientistas do ISGlobal de Barcelona, publicado na revista “Epidemiology”.

A investigação, dirigida por Jordi Sunyer, faz parte do projeto Breathe, o qual tem como objetivo calcular o impacto da poluição no cérebro dos mais novos e já havia chegado a importantes conclusões: a contaminação do ar prejudica a capacidade cognitiva dos menores.

Segundo o estudo, “o desempenho das crianças foi mais lento e menos consistente” nos dias em que estiveram expostas a níveis mais elevados de poluição. Assim, verifica-se um “atraso de cerca de um mês no desenvolvimento da atenção” dos jovens, que afeta a velocidade natural de resposta.

Em visitas trimestrais a colégios, os investigadores submeteram as crianças a vários testes psicotécnicos num computador. O cientista, citado pelo jornal espanhol “El País”, explica que as respostas aos estímulos “eram medidas em milissegundos”. Para além destes testes, os resultados obtidos eram ainda cruzados com ressonâncias magnéticas e com os valores de medições diárias dos níveis de dióxido de nitrogénio e carbono, no interior e no exterior das salas.

“A atenção prestada não é constante ao longo do tempo e aproveitamos essa variação diária para verificar se a contaminação das 24 horas anteriores tinha influência nos resultados dos testes. Constatamos que sim: a poluição, especialmente a que provém dos veículos a diesel, reduz a capacidade de atenção dos jovens”, elucidou o cientista responsável pelo estudo.

No entanto, Sunyer sublinha que ainda se desconhecem os efeitos que estes agentes poluentes “podem ter sobre a capacidade de atenção e aprendizagem a longo prazo”.

Quanto ao futuro, o investigador declara que vai agora estudar que fatores de suscetibilidade podem estar relacionados com os efeitos da poluição nas crianças. “Estamos a avaliar se há determinantes genéticos que protegem ou os tornam vulneráveis aos efeitos dos agentes contaminantes”, explica Sunyer, que revela ainda que pretende estudar também a forma como a poluição tem impacto no crescimento dos bebés na idade pré-natal.