Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Absolvidos dois argelinos que fugiram do aeroporto de Lisboa

A juíza teceu duras críticas ao Ministério Público e à segurança no aeroporto Humberto Delgado

Mohamed Mechani e Hichem Guellil, os dois argelinos que fugiram do aeroporto de Lisboa no passado dia 12, foram esta sexta-feira absolvidos dos crimes de que eram indiciados.

O julgamento decorreu esta manhã num tribunal de pequena instância sem a presença dos arguidos que já tinham sido repatriados. A juíza teceu duras críticas ao Ministério Público e à segurança no aeroporto Humberto Delgado.

Os procuradores indiciaram os dois homens dos crimes de atentado contra a segurança de transporte e de introdução do em lugar vedado ao público, uma tese que teve a total discordância da magistrada.

De acordo com a juíza, a atitude dos dois argelinos é considerada “censurável”, no entanto, não prejudicaram nenhum voo e nem sequer houve uma queixa formal por parte da ANA.

Mohamed Mechani e Hichem Guellil fugiram do aeroporto de Lisboa na tarde do passado dia 12 quando se procedia ao embarque de um grupo de cinco pessoas em voo com destino a Argel. Numa primeira fase, quando foram detetados sem vistos, ficaram retidos na zona internacional e escoltados por dois inspetores do SEF e dois agentes da PSP no autocarro que os levou ao avião estacionado junto ao terminal 2.

À saída, um deles conseguiu fugir em direção à vedação junto à Segunda Circular e um segundo aproveitou a confusão para desaparecer na mesma direção. Os outros três argelinos, entre eles uma mulher, também tentaram a fuga, mas foram logo apanhados.

Os dois fugitivos acabaram por ser detidos nesse dia à noite na Gare do Oriente sem oferecer resistência.

Foi quarto caso da tentativa de fuga de cidadãos magrebinos no aeroporto de Lisboa nos últimos seis meses. Várias fontes garantem que os voos considerados de risco têm partida ou chegada em Marraquexe, Casablanca e Argel.