Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aceitou suborno para se deixar prender em nome de um assassino. Até ver que foi enganado

Episódio aconteceu no Bangladesh, mas este tipo de fraude não é raro naquela parte do mundo

Luís M. Faria

Jornalista

Um homem no Bangladesh foi preso em nome de outro e passou 14 meses na cadeia até revelar quem era. Ripon Ahmed, de 26 anos, assumiu a identidade de alguém que tinha sido condenado a prisão perpétua. O incentivo foi um suborno, bem como a garantia de que seria libertado ao fim de alguns meses e lhe dariam um emprego no Médio Oriente. Quando percebeu que nada disso ia acontecer, abordou as autoridades na prisão e contou tudo.

A história passou-se em Sylhet, uma zona muito pobre do Bangladesh. Em 2012, Iqbal Hossain Bokul foi condenado, juntamente com outras pessoas, pelo homicídio de um tal Ali Akbar Sumon. Dois advogados (entre eles um irmão de Bokul) e um intermediário abordaram então Ahmed para lhe propor colaborar num género de estratagema que não é invulgar naquela parte do mundo. Ele deixou-se convencer, mas rapidamente se arrependeu quando percebeu o que lhe ia acontecer.

Apesar de a verdade ter vindo à luz, Ahmed não foi libertado. Já não está preso por assassínio, mas é agora acusado de fraude. As autoridades também acusaram e prenderam os outros três intervenientes, e vão pedir à Ordem dos Advogados local que atue o mais depressa possível contra os seus dois membros que prevaricaram.