Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Está a chegar o “Women Summit” para ouvir o que mulheres de sucesso têm para dizer

Chega em março ao Porto a “Women Summit” e levanta o estandarte da igualdade de género

André Manuel Correia

Para fomentar o debate sobre o papel interventivo da mulher na sociedade, o Palácio da Bolsa, no Porto, recebe a 7 e 8 de março a primeira edição do “Women Summit”, no qual participarão várias personalidades femininas, exemplos ativos de que a relevância económica, política, social e cultural não tem sexo atribuído.

De acordo com dados do Eurostat, Portugal é o país da União Europeia onde desigualdade salarial entre homens e mulheres mais aumentou com a crise. A nível mundial, a violência contra as mulheres mata mais do que o cancro, a malária, os acidentes de trânsito e as guerras.

Estas são informações alarmantes, “mas vamos lá falar disto”, e sem tabus, como pretende a organização, porque “todos somos iguais” e “vamos prová-lo”. Está, assim, dado o mote para o “Women Summit’17”, organizado pela “One World” e apresentado esta terça-feira em conferência de imprensa.

Logo no primeiro dia do evento – para o qual é necessário efetuar inscrição prévia – são dadas as boas-vindas aos participantes, através de um jantar e gala de ópera, no Salão Árabe do Palácio da Bolsa.

É, no entanto, no segundo dia – 8 de março, Dia Internacional da Mulher – que se abrem as hostilidades para esbater as fronteiras numa sociedade em que a guerra de sexos já não deveria eclodir e persistir. Meritocracia é outra das palavras de ordem e as palestrantes vão estar distribuídas por quatro painéis temáticos: Negócios e Empreendedorismo, Política e Sociedade, Ciência e Tecnologia e Arte e Cultura.

São 16 oradoras no total, entre as quais a arquiteta e ilustradora Ana Aragão, a diretora da Unidade de Cidades da INTELI, Catarina Selada, a presidente do Clube de Produtores do Continente, Ondina Afonso, a jornalista Isabel Canha e editora do portal “Executiva”, a cofundadora da empresa tecnológica Veniam, Susana Sargento, ou a vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, Guilhermina Rego, entre outras mulheres que lograram o sucesso nas mais diversas áreas. O painel completo, bem como outras informações, está disponível para consulta no ‘website’ do projeto.

A iniciativa conta igualmente com uma comissão de honra, composta por 20 personalidades femininas, das quais se destacam a presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho, a presidente indigitada da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, ou Manuela Veloso, professora e investigadora em inteligência artificial e robótica na Carnegie Mellon University.

Imperativo de consciência leva homem a liderar um evento voltado para as mulheres

A liderar uma iniciativa voltada para demonstrar o papel cívico e ativo das mulheres nos mais esparsos quadrantes da vida pública encontra-se um homem. Chama-se José Marques da Silva, tem 44 anos, e é diretor da “One World”.

“Sou o único homem que tem trabalhado, no dia-a-dia, neste projeto”, por um “imperativo de consciência e para ajudar”, explica o responsável, pronto, no entanto, para se retirar “tranquilamente do cenário” e dar lugar às verdadeiras protagonistas.

Apesar de reconhecer que várias iniciativas similares são realizadas neste âmbito por todo o mundo, o diretor da revista “One World” considera que “poucos são os espaços que criam condições para ouvir o que a mulher tem a dizer”.

O elenco de oradores está repleto de “competência e profissionalismo”, congratula-se o responsável.

“Escolhemos a via da prática e dos exemplos [de sucesso]”, assevera o organizador, para quem o “Women Summit” pode constituir um “momento de reflexão único” e que vai ao encontro de um público feminino ativo, multifacetado, composto por mães, cidadãs, ‘fazedoras de opinião’, mulheres de armas na defesa de uma justa integração social.

O investimento efetuado no certame representa 50 mil euros e conta com o apoio institucional da Câmara Municipal do Porto, da Associação Comercial do Porto, da Universidade do Porto e do Turismo do Porto e Norte de Portugal.

As inscrições para o “Women Summit’17” já estão abertas e os preços fixam-se nos 300 euros (sem IVA incluído), para os interessados em assistir somente às conferências do dia 8. Os ingressos para os dois dias têm um custo de 550 euros. No entanto, quem efetuar as inscrições no ‘website’ até 15 de fevereiro beneficia diretamente de um desconto de 30%.