Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ó tempo, volta p'ra trás!

d.r.

Escrevemos, agora, para o Retro Gamer que existe em si. Aliás, se o termo “retro gaming” não lhe diz nada… pare já de ler este texto e avance para a página seguinte. Um pouco de contexto. Há 30 anos, o mundo dos videojogos era, em parte, dominado pela Nintendo e, em 1986, chegava à Europa a NES, Nintendo Entertaiment System. A pequena consola regressa agora num tributo feito à medida dos fãs

Pequena e muito leve, a NES transporta-se para qualquer lado. Os plásticos não aparentam grande resistência e tudo é feito com fios. Desde o cabo HDMI para ligar ao televisor e ver os jogos em HD e a 60 Hz, ao cabo USB que é utilizado para ligar o sistema à corrente elétrica (não é fornecido o carregador). E estes cabos são curtos! Aliás, o mesmo acontece com o cabo que liga o telecomando à consola. Tão pequeno que ficamos a pouco mais de um metro do televisor. Se estiver a utilizar um ecrã grande a experiência é muito cansativa para os olhos. Isto pode ser resolvido se tiver em casa um cabo HDMI longo (daqueles que servem para ligar o televisor a outros sistemas).

A consola da Nintendo vem com 30 jogos e não vai ser possível carregar mais! Grandes clássicos que vão agradar aos fãs. Não resistimos a passar algumas horas (sim, leu bem, são mesmo horas) em “Ghosts’n’Goblins” a tentar manter a roupa no corpo (os fãs vão perceber) e a mostrar, por exemplo, às crianças que hoje jogam no smartphone, a magia de “Pac-Man” ou “Bubble Bobble”.

A jogabilidade é a esperada. Aliás, tal como os gráficos e os sons que se mantêm muito fieis aos jogos originais. Pode escolher-se um de 3 modos de vídeo disponíveis para jogar. O 4:3 (que está um bocadinho aldrabado por estar ligeiramente esticado) acaba por ser o formato mais interessante. Temos apenas um menu de interação com as 30 capas dos jogos disponíveis e nada mais. Só para ter uma ideia, para mudar de jogo é preciso carregar no botão reset. O mesmo botão permite gravar o jogo.

Voltar a jogar estes títulos pode desfazer-lhe muitas das boas memórias que tinha sobre os seus tempos de NES. É que estes jogos estão velhos e os gráficos não são como o “Vinho do Porto”: não melhoram com o tempo. No entanto, há toda uma pureza e ingenuidade na abordagem à mecânica dos jogos que, pelo menos connosco, nos fez quase sentir ternura por esses idos Anos 80. Há quem diga que não devemos voltar a um sítio onde fomos felizes, mas, no caso da NES, estão errados. Por menos do que pagamos por um jogo para uma consola de última geração é possível ficar com um dispositivo clássico com 30 jogos já instalados.

CARACTERÍSTICAS Nintendo Classic Mini

Preço: €59,99
Conectividade: HDMI, MicroUSB, 1x gamepad, slot para outro
Dimensões: 135x36x16,5 mm
Peso: 75 g
Jogos incluídos: Balloon Fight, Bubble Bobble, Castlevania, Castlevania II: Simon's Quest, Donkey Kong, Donkey Kong Jr., Double Dragon II: The Revenge, Dr. Mario, Excitebike, Final Fantasy, Galaga, Ghosts'n Goblins, Gradius, Ice Climber, Kid Icarus, Kirby's Adventure, Mario Bros., Mega Man 2, Metroid, Ninja Gaiden, Pac-Man