Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Indo eu, indo eu a caminho de Viseu

PATRIMÓNIO O Museu Nacional Grão Vasco, no centro histórico de Viseu, já é o quinto mais visitado do país

ANA BAIÃO

Numa campanha dirigida ao turismo interno, a cidade de Viriato decretou “2017 como ano oficial para visitar Viseu” e vai estar em destaque na BTL, a feira do turismo português

É um apelo que se dirige, em primeiro lugar, aos portugueses. “Vamos lançar 2017 como o ano oficial para visitar Viseu”, anuncia António Almeida Henriques, presidente da câmara de Viseu, referindo tratar-se de “uma provocação positiva”, uma vez que chegou a hora dos turistas nacionais “redescobrirem o interior” e “olharem de forma diferente outras cidades do país de média dimensão e que estão fora do litoral”.

Na apresentação à imprensa da nova campanha de turismo interno para a cidade e a sua envolvente, Almeida Henriques destacou que “este crescimento turístico em Portugal reclama destinos novos e complementares a Lisboa e Porto, sendo Viseu uma cidade média do interior onde há qualidade de vida e que se quer afirmar no turismo nacional”. Segundo o autarca, (que já foi secretário de Estado do Turismo entre 2011 e 2013, no Governo de Passos Coelho), “há que aproveitar as sinergias do crescimento turístico que Portugal está a ter em benefício de cidades médias, pois o país como um todo tem de participar deste momento importante que estamos a viver”.

ARTE NA RUA. Viseu quer “afirmar-se no turismo nacional como cidade média do interior onde há qualidade de vida”, segundo o autarca Almeida Henriques

ARTE NA RUA. Viseu quer “afirmar-se no turismo nacional como cidade média do interior onde há qualidade de vida”, segundo o autarca Almeida Henriques

d.r.

Viseu é a “Cidade Nacional Convidada” na edição de 2017 da BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa), a feira do turismo português que vai decorrer de 15 a 19 de março organizada pela FIL. É a primeira vez que a BTL tem uma cidade nacional convidada, e segundo Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP, é essencial “desenvolver uma política de descentralização turística” e neste caso “lançar Viseu como um polo para turismo, pois tem havido um foco especial em Lisboa e no Porto, sendo agora altura de outras cidades como Viseu poderem também mostrar as suas potencialidades”.

O 'stand' de Viseu que vai estar em destaque na BTL será, para Almeida Henriques, uma relevante “janela de promoção” para mostrar “o mix poderoso de experiências que a cidade oferece”, desde cultura e museus até vinhos ou gastronomia - e que muitos portugueses ainda desconhecem.

CAVA DE VIRIATO A fortaleza construída em terra batida rodeada por um fosso é um dos ex-libris de Viseu

CAVA DE VIRIATO A fortaleza construída em terra batida rodeada por um fosso é um dos ex-libris de Viseu

D.R.

A começar pelo facto de Viseu se associar à figura de Viriato, herói da pré-romana Lusitânia, que terá nascido nesta região. “Somos a cidade de Viriato, com 2500 anos, mais antiga até que a muralha da China”, frisa Almeida Henriques, lembrando ainda que, no campo do património cultural, o Museu Nacional Grão Vasco já é o quinto mais visitado do país. “Somos também uma cidade vinhateira do Dão, temos a Feira de São Mateus que é a mais antiga da Península Ibérica e temos excelente hotelaria e restauração, tendo já qualificados 29 restaurantes na região”, enumera o autarca. “É um destino cheio de encantos e com muitas lendas e histórias para contar, mas que é preciso descobrir”, conclui.

BARRAGEM DA AGUIEIRA. No leito do Mondego, o hotel Montebelo Aguieira tem recebido sucessivos estágios de equipas desportivas de alta competição

BARRAGEM DA AGUIEIRA. No leito do Mondego, o hotel Montebelo Aguieira tem recebido sucessivos estágios de equipas desportivas de alta competição

D.R.

Nesta aposta reforçada no turismo para 2017, a câmara de Viseu avançou com uma iniciativa inédita, proporcionando formação turística a 200 cidadãos voluntários para que possam servir de guias na cidade. “O beirão é por natureza uma pessoa que sabe receber, mas é preciso qualificar este serviço. Formámos na nossa população guias espontâneos, o que envolveu um trabalho com as nossas escolas, para transformar estes cidadãos em 'anfitriões' que saibam contar as histórias da sua cidade, recomendar uma rota ou um percurso”, refere o presidente da câmara. “Queremos que a população seja parte ativa deste crescimento turístico, e eu próprio vou servir de guia em Viseu. Não há muitas cidades no mundo que tenham 2500 anos de história”.

Turismo do Centro avança campanha interna alargada a Espanha

A campanha de Viseu conta com o apoio do Turismo do Centro, que vai ajudar a promover a região no mercado interno, e num conceito que se estende às zonas espanholas de proximidade. Segundo Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, a campanha vai decorrer em diversos meios, a começar pelas redes sociais.

“É comum ouvir o discurso nacional de se desconcentrar o fluxo turístico, mas é importante dar passos concretos no objetivo de valorizar outros territórios e outras ofertas, olhando o país como um todo”, sustenta Pedro Machado, referindo que “neste discurso da deslitoralização da atividade turística” Viseu ocupa um lugar de destaque, face aos seus múltiplos atrativos a nível de “património, história e cultura, além de gastronomia ou vinhos”, e que estão em linha “com as tendências do turismo internacional” e aquilo que os novos turistas hoje procuram.

CASA DA ÍNSUA O hotel de charme da Visabeira, empresa de Viseu, destaca-se pelo padrão de topo na zona centro

CASA DA ÍNSUA O hotel de charme da Visabeira, empresa de Viseu, destaca-se pelo padrão de topo na zona centro

d.r.

“A maior concentração de hotéis de cinco estrelas na região centro está em Viseu”, lembra Pedro Machado, chamando a atenção para a proximidade da cidade relativamente a Lisboa, Porto e Madrid.

“Viseu está no epicentro de uma série de ações que vamos lançar com a nossa congénere Extremadura espanhola e a comunidade de Castilla. Estamos a trabalhar para um mercado de 6 milhões de potenciais consumidores”.

Segundo Pedro Machado, “a região centro sofre o mesmo problema do país, que é a sazonalidade”. Mas salienta que face à diversidade de atrativos desta cidade do interior, “Viseu tem capacidade de ter várias épocas altas ao longo do ano. A cidade está hoje imbuída de um espírito muito dinâmico, e para os portugueses, 2017 é mesmo um ano de visita obrigatória a Viseu”.