Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Os argumentos da razão

d.r.

Desde sempre que o fator preço é um dos principais argumentos da Dacia. Mas a marca low cost do grupo Renault está a mudar e a renovação da gama tem novos trunfos que tornam os modelos da marca mais atuais e com equipamento ao nível das marcas principais. O jornalista Rui Pedro Reis esteva na Croácia, onde comprovou os novos argumentos do Dacia Duster e do Dacia Sandero Stepway

RUI PEDRO REIS/SIC em Sibenik, Croácia (texto)

O frio da manhã anuncia o inverno, mas o sol brilha de forma efusiva e não há uma nuvem no céu. Sibenik e á cidade croata escolhida pela Dácia para mostrar as novidades no Duster e no Sandero Stepway, mas também no Logan e no Logan MCV. A escolha da localização tem um simbolismo: é que a Croácia, a par da Roménia, foi o primeiro país a comercializar Dacia, após a aquisição da marca pelo grupo Renault/Nissan.

Começo a viagem com o Duster, cuja principal novidade é a chegada da bem sucedida caixa automática EDC. Sigo caminho para o Parque Nacional Krka. A estrada é sinuosa e a subir. Pelo caminho é inevitável estabelecer comparações. O Duster é hoje um automóvel mais refinado, com mais rigor na montagem e materiais melhorados, bem longe do que era quando foi lançado em 2010.

Pequenos luxos

A chegada de uma caixa automática ao Duster é uma novidade que merece ser sublinhada. Com seis velocidades, a EDC já conhecida nos Renault, tem a suavidade de utilização típica de uma caixa de dupla embraiagem. E no Duster, a EDC assenta como uma luva. Tem um comportamento previsível e numa condução a ritmo moderado quase não se dá pelas passagens de caixa. Esta unidade que a Renault utiliza há três anos é de fabrico alemão. Face à versão de caixa manual, o Duster com a caixa EDC custa mais 1.500 euros. A única versão do Duster que recebe a opção de caixa automática é a equipada com o motor diesel 1.5 dci 110 cv, que é precisamente a motorização mais vendida em Portugal. Já no Parque Nacional Krka sigo a viagem rumo às cascatas que tornam este um dos pontos de visita obrigatória na região. Mas a visita vai ter de ficar para outro dia. É que o parque obriga a estacionar os veículos a cerca de 2 km das quedas de água. Por isso, regresso ao carro e sigo logo viagem. Em Sibenik espera-me outro Dacia de cara lavada.

Sandero Stepway - Uma questão de detalhes

O Sandero Stepway é aquilo a que se pode chamar um exemplo de honestidade automóvel. Tem um bom preço, não é pretensioso mas ao mesmo tempo consegue ter uma identidade própria. A versão Stepway, face ao Sandero convencional, distingue-se por assumir uma imagem crossover.

As novidades no Sandero são sobretudo estéticas. Desde logo, à frente com as luzes diurnas em LED, que são de serie e fazem parte da nova assinatura visual da marca. A grelha, os para-choques, os faróis de nevoeiro e as jantes também foram atualizados. Por dentro, um dos destaques é o novo volante com materiais mais agradáveis ao toque. Há ainda uma câmara traseira, nova chave e novos compartimentos de arrumação. Debaixo do capot também há novidades, com a chegada do novo motor a gasolina atmosférico SCe75. Este bloco 1.0 está disponível em duas variantes, de 75 cv e 90 cv. Depois há ainda o já conhecido motor TCe90 e no diesel a oferta passa pelo 1.5 dci 90 cv.

Sigo ao volante do TCe 90 cv. A versão tem vitamina mais que suficiente para o Sandero. Sem ser um primor de vivacidade, chega e sobra. Mais um motor que mostra como os blocos a gasolina são, cada vez mais, uma escolha a ter em conta. É inegável que um automóvel como o Sandero Stepway ou o Dacia Duster aponta a uma clientela com filhos. Nisso, estes primeiros contactos ficam sempre incompletos, já que não há tempo nem ocupantes para testar devidamente os bancos traseiros. Mas com ou sem o carro cheio, há um trunfo que o Sandero Stepway guarda e que é o preço. Para quem escolhe um automóvel de forma racional e sem olhar muito para o prestígio da marca, o Sandero é uma das escolhas mais sólidas que pode haver. Os materiais até podem ser menos modernos que noutras marcas, mas no momento de fazer contas, a Dacia dá trunfos. É por isso que os números da marca continuam a crescer, com uma clientela que prefere poupar no orçamento do automóvel.

FICHA TÉCNICA Dacia Duster 1.5 dci 110 cv EDC

Motor
1496 cc
110cv
250 nm às 1750 r.p.m.

Transmissão
Dianteira
Caixa Automática EDC 6 velocidades

Prestações
169 km/h vel. máxima
11,9s 0 - 100 km/h

Consumos
4,5l/100 km ciclo misto
116g CO2/km

Preço: €20.000

FICHA TÉCNICA Dacia Sandero Stepway tce 90 S&S

Motor
898 cc
90 cv
140 nm às 2250 r.p.m.

Transmissão
Dianteira
Manual 5 velocidades

Prestações
168 km/h vel. máxima
11,1s 0-100km/h

Consumos
5,1l/100 km ciclo misto
115g CO2/km

Preço: €12.750