Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mariscos ‘iluminados’

Marcos Borga

Na Alameda há uma marisqueira renovada a tentar brilhar como a n.º 1 da Almirante Reis

Fez-se um hábito que as ‘boas entradas’ à portuguesa sejam com marisco à mesa. A tradicional ‘mariscada’ continua a ser uma espécie de desporto nacional na hora de celebrar, num campeonato onde estamos bem servidos a nível nacional de poisos para praticar o bom mariscar. Em Lisboa, a Cervejaria Ramiro destaca-se pela assinalável quantidade de simpatizantes que congrega nas suas hostes. Aos clientes regulares juntam-se turistas que engrossam as filas frequentes na parte exterior, e que ‘cumprem’ ali mais uma etapa do roteiro clássico para forasteiros.

É uma das marisqueiras mais concorridas da cidade com uma relação qualidade-preço difícil de contrapor, e se não é a nº 1 da capital em ‘adeptos’ não há dúvidas que na numeração da porta é a casa inicial da longa Avenida Almirante Reis, conhecida como morada de outros ‘clubes marisqueiros’. Na mesma artéria, junto à Alameda Afonso Henriques, surge no nº 166 o restaurante Luminosa by Furnas, casa já existente há vários anos e que desde novembro está sob a gerência dos proprietários da Marisqueira Furnas na Ericeira. Depois de obras profundas o espaço ficou realmente mais luminoso e agradável. Há salas acolhedoras no piso superior e na parte em mezanino fixamos os ‘grandes olhos’ de um peixe/instalação de cariz artístico.

A vistosa escultura suspensa sobre as mesas da entrada parece vigiar as nossas escolhas. Abriu-se com umas belas “Ostras” (€12 — 6 unid.) de bom calibre e cheias de fresquíssimos sucos marinhos. A “Sopa rica do mar” (€6 — 1 pax, €9 — 2 pax) teve na apreciação a confirmação literal do nome devido à intensidade dos sabores marinhos que o caldo escuro e cremoso libertava. Na guarnição, uma sequência generosa e variada de lascas de peixe, camarões médios descascados, amêijoas, e alguns pedaços de lagosta, ficando a episódica massa ‘cotovelinho’ a fazer figura de ‘hidrato presente’ perante tão abastada companhia. Uma bela iguaria para deixar orgulhoso o nosso ‘peixão anfitrião’. Nas “Amêijoas à Bulhão Pato” (€15) a qualidade da matéria-prima manteve-se com bivalves húmidos e carnudos de tamanho médio, embora alguns tivessem minguado durante a confeção. O molho é que era excessivo para a porção servida, ficando a dúvida se a confeção foi individual ou num tacho com outras doses de amêijoas, libertando-se assim mais sucos, mas prejudicando os tempos de cozedura dos bivalves pequenos.

Uma breve conceção aos pratos principais para apreciar as suculentas “Costeletas de borrego grelhadas” (€13), saborosas e tenras, na companhia de batatas aos gomos fritas com casca e temperadas com ervas. A seguir embarcou-se na “Traineira de marisco” (€55 — pequena, €75 — grande) com a versão ‘pequena’ a ser suficiente para duas pessoas, embora na Ericeira as opções sejam mais variadas e ambiciosas na composição, incluindo por vezes mariscos mais cotados. O ‘plantel’ escalado para o desafio trazia uma ótima sapateira com o recheio pouco trabalhado (e bem) com ingredientes acessórios, exibindo assim com maior autenticidade os sabores naturais do casco. Gamba da costa e camarão de Moçambique impecáveis, búzios e canilhas idem, apenas os ‘percebes’ se apresentaram com excesso de sal, quiçá pelo calibre demasiado pequeno os ter feito absorver demasiado a generosa mão de sal que é necessária à sua cozedura. De saída, o canónico “Prego da vazia” (€4,50) era de qualidade, mas a preço inflacionado para o corte e a discreta porção de carne servida.

Nos vinhos, a variedade cumpre com a extensão do menu a preços aceitáveis. O serviço despachado, tipo ‘cervejaria’ é correto e funcional, mas tem margem para ser mais atencioso. Doces de catálogo e alguns feitos na casa como uma “Mousse de lima” (€3) ‘fraquinha’, pouco aromática e consistência mais líquida do que cremosa, e uma boa “Tarte de maçã com gelado” (€4) de topo coberto com uma dourada massa areada a ligar bem com um generoso e saboroso recheio de maçã estufada.

Fez-se uma refeição briosa nesta marisqueira Luminosa by Furnas. A diversidade de pratos fixos ao almoço aponta para um rumo iluminado no intuito de fazer boa concorrência à vizinhança, embora os preços gerais dos mariscos estejam acima dos demais. O peixão híbrido de garoupa e tamboril olha-nos a digerir pelo ‘gorgomil’ uma conta que pode ser melhorada nesta caminhada rumo ao pódio.

Luminosa by Furnas

Av. Almirante Reis, 166 C — Lisboa
Tel. 218 478 342 ou 932 896 443
Não encerra