Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ faz buscas em funerária e bombeiros da Batalha

As buscas estão relacionadas com uma denúncia sobre alegado favorecimento da empresa na realização de funerais

A Polícia Judiciária de Leiria fez buscas numa funerária e nos bombeiros da Batalha, após um alerta desta corporação, que alega ter recebido informação sobre alegado favorecimento à empresa para a realização de funerais.

O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Batalha, Jorge Novo, confirmou esta segunda-feira à Lusa a realização de buscas no quartel, na quarta-feira.

“Quando tivemos conhecimento de uma denúncia comunicámos ao Ministério Público”, disse Jorge Novo, acrescentando que os bombeiros “fazem um trabalho voluntário, num esforço de ajudar os outros", pelo que "é importante perceber se a denúncia tem ou não algum fundamento”.

Fonte da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria confirmou à Agência Lusa a realização de buscas no quartel e na agência funerária, na quarta-feira.

“O processo está em fase de investigação para tentar perceber se a denúncia tem alguma consistência. Para já, recolhemos material para investigação”, informou a PJ.

O gerente da funerária em causa, André Espírito Santo, disse à Lusa estar de “consciência tranquila”.

“Julgo que isto tem a ver com a concorrência e há pessoas que não olham a meios para atingir os seus objetivos. A minha funerária só tem seis anos e tenho tentado dignificar o setor. Parece que há pessoas que andam a perder trabalho e fizeram a denúncia”, revelou.

André Espírito Santo confirmou as buscas e o facto de a sua mãe ser funcionária na corporação da Batalha “há 30 anos”, pelo que esta situação a “está a transtornar muito”.

“Eu também fui bombeiro, mas entendi que era melhor sair. Estou disponível para esclarecer tudo junto da Polícia Judiciária, que está a fazer o seu trabalho”, afirmou.