Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Polícia Judiciária volta a fazer buscas no INEM

Operação desta manhã não está relacionada com a detenção de Luís Cunha Ribeiro, ex-presidente da instituição, apurou o Expresso. As buscas ainda estão a decorrer. Em causa estará também outro ex-responsável da instituição

Pela segunda vez na mesma semana, a Unidade Nacional Contra a Corrupção da Polícia Judiciária está a fazer buscas nas sedes do Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal (INEM) em Lisboa e no Porto. Neste momento, estão também a decorrer buscas domiciliárias.

Pelo que o Expresso apurou, esta operação não está relacionada com a detenção de Luís Cunha Ribeiro, ex-presidente da instituição, esta terça-feira, que é suspeito, juntamente com mais três arguidos, de ter privilegiado a Octopharma, empresa de Lalanda de Castro, na distribuição de plasma para os hospitais públicos.

Na operação desta manhã estará em causa outro ex-responsável do INEM, suspeito de ter favorecido algumas empresas com contratos de material de consumo médico, equipamento e prestação de serviços.

Segundo fonte da Polícia Judiciária, os investigadores estão a recolher documentação sobre ajustes diretos feitos por um antigo diretor do Gabinete de Logística e Operações do INEM.

Entretanto, a Procuradoria-geral da República divulgou que as várias buscas –domiciliárias e a um instituto público – decorrem "no âmbito de um inquérito em que se recolhem indícios da prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, participação económica em negócio e abuso de poder".

"A investigação visa a atuação do responsável principal desse instituto, por factos indiciariamente praticados no exercício das suas funções públicas e com violação dos deveres inerentes", informa a PGR.

[Notícia atualizada às 12h]