Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ do Norte detém nono farmacêutico por fraude ao SNS

João Carlos Santos

Desde o início do ano, a Polícia Judiciária do Norte já efetuou 25 buscas a farmácias, detendo nove farmacêuticos e um médico suspeitos de terem lesado o Estado em seis milhões de euros. O último farmacêutico indiciado por burla ao Serviço Nacional de Saúde foi apanhado esta quinta-feira, em Mesão Frio

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

No âmbito da investigação a práticas fraudulentas ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), o DIAP do Porto realizouesta quinta-feira buscas numa farmácia situada em Mesão Frio, tendo sido detido o seu diretor, fortemente indiciado de crimes de burla qualificada, corrupção, falsificação agravada de documentos e falsidade informática.

Em comunicado, a Judiciária revela que a atividade criminosa do farmacêutico, de 36 anos, passava por um esquema de venda fictícia de medicamentos com recurso a receitas médicas falsas, revertendo a taxa de comparticipação paga pelo Estado a favor do suspeito. A investigação mantém-se em curso até que sejam apurados todos os crimes, bem como o prejuízo total causado pelo farmacêutico, que aguarda ainda pelo primeiro interrogatório judicial.

Desde janeiro de 2016, a Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, já realizou 25 buscas a farmácias, investida que levou à detenção de nove farmacêuticos e um médico que lesaram o SNS em cerca de seis milhões de euros.

Na anterior operação de buscas foram detidas, há um mês, duas farmacêuticas, de 51 e 53 anos, em Barcelos. No início de novembro, outros dois proprietários de duas farmácias no Porto foram acusados pelo mesmo tipo de esquemas fraudulentos ao SNS, além de dois diretores técnicos das farmácias em causa.

Já no início de fevereiro, a PJ tinha detido um médico e duas farmacêuticas por delitos similares, em Braga, tendo sido detetada então uma faturação indevida de 1,8 milhões de euros.