Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nuno Simas demite-se de cargo de diretor adjunto da Lusa

Decisão foi tomada após o parecer negativo que o Conselho de Redação deu ao nome de Mafalda Avelar para o cargo de subdiretora de informação. O lugar de Simas será assumido por Margarida Pinto, em janeiro

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

Nuno Simas demitiu-se do cargo de diretor-adjunto da Lusa. O anúncio foi feito esta quinta-feira aos colaboradores, a pedido do diretor de informação, Pedro Camacho, e através de um comunicado do Conselho de Redação.

Em causa, explicou o próprio Nuno Simas ao Conselho de Redação, está o facto de não concordar com a nomeação de Mafalda de Avelar para subdiretora de informação, nome que também foi vetado pelo Conselho de Redação (CR) da agência de notícias.

“Apresentei no início da semana a minha demissão da Direção de Informação da Lusa. Em última análise, e independentemente do desgaste no exercício desta função durante cinco anos, o que pesou para tomar esta decisão foi a discordância com o perfil escolhido e objetivos traçados para a nova subdiretora.Na minha perspetiva, um novo subdiretor teria que ter um papel interventivo no trabalho diário da redação”, pode ler-se no comunicado que o Conselho de Redação enviou aos jornalistas esta tarde.

Esta foi, aliás, a mesma razão pela qual o CR vetou nomeação de Mafalda de Avelar. "O CR, atendendo ao currículo da jornalista e ao lugar que vai ocupar, entendeu dar parecer negativo, por unanimidade. O CR considera que falta ao nome proposto experiência de chefia e de trabalho em redação", pode ler-se num outro comunicado.

Ou seja, o currículo não é suficiente para a categoria que irá ocupar e que, segundo o CR, se define da seguinte forma. "É o trabalhador que, habilitado com o grau académico de licenciatura, ou formação complementar, ou experiência profissional relevante, se qualifica para o desempenho de funções de grande responsabilidade, em que a sua experiência lhe permita dedicar-se a estudos e projetos de elevada complexidade ou trabalhos de consulta e de assessoria especialmente qualificados. Pode coordenar e chefiar a atividade de um grupo de trabalhadores para a realização das tarefas que lhe estão atribuídas".

Aliás, o CR nota ainda que o nome de Mafalda Avelar,"inicialmente, tinha sido proposto para o grupo K, o topo de carreira na Lusa", mas que isso foi contestado e a decisão final colocou a jornalista no grupo J, ou seja, redator principal, com um ordenado base mínimo de 2.324,75 euros.

Este parecer não é contudo vinculativo, e tudo indica que Mafalda de Avelar assumirá o cargo em breve, até porque para o Diretor de Informação, a jornalista "tem o perfil indicado para o atual momento da Agência" e ainda porque "a empresa precisa de alguém com as características da jornalista: experiência na área da economia, experiência na área internacional e experiência na negociação de programas comunitários".

No comunicado, o Conselho de Redação lembra ainda que "a Lusa tem um défice notório de redatores e lembra que é esse défice que tem sido reconhecido e falado nos últimos meses/anos e não o défice de diretores".

Margarida Pinto substitui Nuno Simas

Segundo adianta o comunciado do CR sobre a demissão de Nuno Simas, o jornalista manter-se-á em funções "pelo menos até 1 de janeiro de 2017". Para o substituir foi escolhida a jornalista Margarida Pinto, atualmente chefe da delegação de Macau, e cujo nome teve parecer favorável do CR.

Agora, "será aberto um concurso para chefe da delegação de Macau", diz ainda o CR, que é atualmente constituído por Fernando Carneiro, Fernando Peixeiro, Joana Ramos Simões, Rosária Rato, Tiago Petinga, Marco Lopes da Silva e Susana Venceslau.