Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Domínio asiático soma e segue

Marcos Borga

Sete países asiáticos estão entre os dez participantes do estudo internacional PISA com melhores resultados na avaliação de literacia científica. Singapura lidera nos três domínios (Ciências, Leitura e Matemática), seguida - no caso das Ciências - pelo Japão

Sem surpresas, os rankings da literacia continuam a ser dominados por países e regiões da Ásia. Entre os dez participantes com melhores desempenhos na avaliação da literacia científica, sete são asiáticos. E Singapura consegue a proeza de ficar em 1º lugar nos três domínios avaliados pelo PISA.

Nesta cidade-Estado (que não integra a OCDE), os alunos conseguiram uma média de 556 pontos (próximo do nível 4 numa escala de proficiência que vai até 6) e são seguidos a alguns pontos de distância pelo Japão (538 pontos). Estónia e Finlândia foram os países europeus com melhores resultados. O primeiro poderá mesmo ser considerado a estrela do PISA 2015 já que, se se olhar apenas para o desempenho dos alunos de países da OCDE, apresenta uma pontuação que não difere significativamente do primeiro classificado, o Japão.

Em 2006, quando a literacia científica tinha sido também o domínio em destaque na avaliação, o primeiro lugar pertenceu à Finlândia. De então para cá, o país que se tornou o farol educativo da Europa e até mundial tem tremido um pouco nos testes internacionais. Mas continua a ocupar as posições cimeiras. A Leitura, por exemplo, volta a estar entre os países europeus com melhores resultados, a par da Irlanda e da Estónia. Já a Matemática, a Finlândia foi ultrapassada por outros países europeus, como Suíça e Estónia.

Portugal, com 501 pontos, integra o segundo bloco de países com resultados em ciências significativamente acima da média da OCDE. Tem a companhia da Polónia, Dinamarca e Bélgica.