Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PSD congratula-se com melhoria dos conhecimentos a matemática no 4.º ano

Os sociais-democratas deixam no entanto o alerta: a reversão de medidas pode colocar este “caminho de sucesso” em risco

O PSD congratulou-se esta terça-feira com os resultados do estudo internacional TIMSS, que indica uma melhoria dos conhecimentos a matemática dos alunos do 4.º ano, alertando que a reversão de medidas pode colocar este "caminho de sucesso" em risco.

"Estes resultados são ótimas notícias para o nosso país, pela primeira vez os nossos alunos do 4.º ano de escolaridade ficaram à frente de países que são considerados referências internacionais na área da educação, como a Holanda e a Finlândia", afirmou o deputado do PSD Amadeu Albergaria, numa declaração aos jornalistas no parlamento.

Sublinhando que estes resultados foram alcançados num quadro de "grande rigor e de grande exigência", Amadeu Albergaria reconheceu o trabalho dos alunos e dos professores, mas assinalou igualmente o caminho traçado pelo anterior Governo de maioria PSD/CDS-PP, "onde a exigência e o rigor foram uma constante" e no qual se decidiu a introdução de medidas como o aumento do número de horas de matemática.

"Não se trata de uma discussão ideológica, o que nós temos hoje são dados concretos de que o caminho que estava a ser trilhado na área da educação pelo ministro Nuno Crato era o caminho correto", frisou.

O deputado do PSD manifestou ainda a preocupação do partido pela política de reversão de medidas a que se tem assistido ao longo do último ano, nomeadamente na área da matemática, entre as quais o fim dos exames do 4.º ano.

Essa política de reversão, sublinhou, "pode colocar em risco este caminho de sucesso que estava a ser percorrido pela escola".

"Ao contrário da narrativa que foi feita de que estávamos a destruir a escola pública, o que os dados hoje anunciados pelo estudo internacional TIMSS e por todos os indicadores qualitativos da educação é que era o caminho certo e, por isso, não merece o que está a ser feito, que é um desvio à qualidade, à exigência, ao rigor e ao mérito no nosso sistema educativo", acrescentou.

Segundo os resultados do estudo internacional TIMSS, os alunos do 4.º ano melhoraram os conhecimentos a Matemática, o que coloca Portugal acima da média numa comparação que avalia mais de 300 mil estudantes.

No ano passado, 4.693 alunos que frequentavam o 4.º ano de escolaridade em 217 escolas portuguesas participaram no Trends in International Mathematics and Science Study (TIMSS 2015), criado para avaliar a literacia a matemática e a ciências e que celebrou 20 anos de existência.

Os alunos portugueses têm vindo a melhorar a matemática, quando se comparam os últimos resultados com os obtidos nas outras duas edições em que participaram (logo na primeira, em 1995, e na penúltima, em 2011).

  • Afinal, os resultados positivos a Matemática são obra de quem?

    Os resultados do TIMSS 2015, uma das mais antigas avaliações internacionais na área da Educação, já estão a ser usados politicamente. À esquerda, o secretário de Estado da Educação realça medidas lançadas durante um Governo PS. À direita, o ex-ministro Nuno Crato destaca contributos dos dois lados da barricada, recordando que os resultados de 2015 são também fruto de metas por si introduzidas. Certo é que a maior progressão a Matemática foi anterior ao último Governo PSD. E os resultados a Ciências caíram entre 2011 e 2015

  • Portugal com subida recorde nas notas de Matemática do 4.º ano

    Há 20 anos, na primeira edição do estudo internacional TIMMS, Portugal ocupou a antepenúltima posição num total de 17 países. Agora ascende ao 13º lugar em 49 estados e regiões. Ficou à frente da Finlândia. A Ciências os resultados são bem mais modestos e pioraram em relação ao último último estudo

  • Já há mais raparigas que rapazes a estudar Matemática, mas resultados delas ainda ficam atrás

    Apenas Portugal e a Eslovénia têm mais raparigas que rapazes a estudar Matemática A no conjunto dos nove países analisados. Mas os rapazes ganham-lhes nas classificações, em linha com a tendência internacional. Resultados do estudo TIMSS Advanced 2015, que avalia conhecimentos em Matemática A e Física dos alunos do 12º ano, são pouco animadores: Portugal obteve nas duas disciplinas pontuações inferiores ao valor de referência