Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Agressões em Ponte de Sor: Embaixador do Iraque alvo de tentativa de burla

Homem ter-se-á passado por advogado de Rúben Cavaco, o jovem agredido em Ponte de Sor pelos filhos do diplomata. O burlao queria 30 mil euros ao burlão em troca de um ponto final no processo das agressões. Embaixador nunca teve intenção de entregar o dinheiro

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Saad Mohammed Ali, o embaixador iraquiano em Lisboa, terá sido alvo de uma tentativa de burla por parte de um homem que dizia ser advogado de Rúben Cavaco, o jovem agredido em Ponte de Sor pelos dois filhos gémeos do diplomata.

A notícia da TVI foi confirmada ao Expresso pelo verdadeiro defensor de Rúben Cavaco. Segundo Santana-Maia Leonardo, o burlão pediu 30 mil euros ao diplomata como indemnização. Em troca, prometia que o caso ficaria encerrado.

Esta tentativa de burla foi, segundo Dina Fouto, advogada de um dos filhos do embaixador, feita há duas semanas por telefone. “O embaixador nunca teve intenção de entregar o dinheiro”, garantiu a advogada ao Expresso.

O burlão queria encontrar-se com o embaixador no Parque das Nações, em Lisboa, para receber o dinheiro, algo que nunca veio a acontecer.

Sanatana-Maia Leonardo soube do caso depois de um telefonema da secretária da embaixada. "Quando ligaram para mim, era precisamente para a pedir a documentação para que o acordo fosse firmado. Eu nunca falei com o senhor embaixador, nunca telefonei para a Embaixada do Iraque. Nunca tive qualquer contacto com a Embaixada. Há aqui um burlão que, aproveitando-se desta situação ou deste vazio, andou a tentar ver se ganhava alguma coisa com este negócio", explicou o advogado à TVI, repetindo a mesma declaração ao Expresso.

O Expresso contactou a Embaixada do Iraque, mas esta encontra-se encerrada esta quarta-feira.

No dia 17 de agosto, Rúben Cavaco foi agredido em Ponte de Sor pelos filhos do embaixador do Iraque em Portugal, gémeos de 17 anos.

O jovem sofreu múltiplas fraturas, tendo sido transferido no mesmo dia do centro de saúde local para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, tendo chegado a estar em coma induzido. Acabou por ter alta hospitalar no início de setembro.

Os dois rapazes suspeitos da agressão são filhos do embaixador iraquiano em Portugal, Saad Mohammed Ali, e têm imunidade diplomática, ao abrigo da Convenção de Viena.

Há um mês, as autoridades iraquianas consideraram "prematuro tomar uma decisão" relativamente ao pedido feito pelo Governo português de levantamento da imunidade diplomática dos filhos do embaixador do Iraque em Lisboa.

O ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva já prometeu levar o caso do levantamento da imunidade "até ao limite" e neste momento o processo encontra-se a ser analisado pelo Ministério Público.

(Artigo atualizado às 15h18)