Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Em equipa que ganha...

d.r.

A mais recente geração do SEAT León nasceu em 2012 e é um caso de sucesso que ajudou a marca espanhola a sobreviver aos anos da crise. Quatro anos depois, o León surge renovado, mas é preciso olhar atento para ver as diferenças. O jornalista Rui Pedro Reis foi a Barcelona e analisou ao pormenor os argumentos que fazem do León um novo carro

Rui Pedro Reis/SIC

Não é de hoje que o Seat León é um caso de sucesso para a marca espanhola. Mas, a última geração do Léon significou um passo em frente em matéria de qualidade. As vendas têm sido um reflexo disso mesmo. Por isso, o fabricante com sede em Martorel, a poucos quilómetros de Barcelona, não mexeu muito na estética do Léon. Em vez disso, fez o trabalho de casa e atualizou alguns detalhes que podiam ser melhorados.

Atenção aos detalhes

Ao primeiro olhar, o novo León até pode passar despercebido. A equipa de designers e engenheiros da marca assume que o objetivo foi mudar apenas o essencial porque, quatro anos depois do lançamento, o León parece não acusar a idade. A fórmula de sucesso parece simples de explicar. O Léon conseguiu um bom compromisso entre design e funcionalidade e entre comportamento desportivo e conforto.

Quando se conduz o novo León, a primeira diferença que se nota é a insonorizarão do habitáculo. Menos ruído de rolamento e, principalmente, menos presença do ruído do motor, o que no caso do motor a gasóleo é muito bem vindo. Mas não se pense que as diferenças são apenas técnicas. Em matéria de design, destaca-se a nova grelha frontal, de maiores dimensões, e linhas mais precisas e vincadas. Os faróis e farolins também são novos, com maior intensidade luminosa e com os piscas integrados. O ecrã de info-entretenimento também foi revisto e aumentado e agora é de 8”. Em matéria de equipamento, o nível Xcellence junta-se aos já existentes Reference, Style e FR. A aposta do Xcellence é no conforto e na sofisticação, em paralelo com o FR que aponta mais a uma clientela com espirito desportivo. Os dois níveis de equipamento têm preço igual.

1 / 3

2 / 3

3 / 3

Diferenças que não estão à vista

Já era de esperar que, mais cedo ou mais tarde, o León herdasse alguma da tecnologia que a Seat estreou no primeiro SUV da marca.

Um dos elementos que se destaca é o Cruise Control adaptativo com front assist. Há outros como o reconhecimento de sinais de transito. Podem não ser novidades absolutas no segmento, mas não deixam de ser elementos que vêm atualizar aquela que é uma das apostas mais seguras do segmento.

Em matéria de motorizações a evolução prende-se essencialmente com uma revisão do motor 1.6 TDi que passa de 110 cv para uma potência de 115 cv. O trabalho de engenharia melhora a resposta a baixas rotações, consegue melhorias residuais nos consumos e baixa ligeiramente as emissões de CO2. O motor 1.6 TDi 115 cv é aquele em que as vendas se concentram, mas continua a haver mais, a começar pela versão do 1.6 TDi com 90 cv. Nos diesel, o bloco 2.0TDi mantém duas variantes: uma com os já conhecidos 150 cv, enquanto o topo de gama passa de 180 cv para 184 cv. Nos motores a gasolina, o destaque vai para a chegada do bloco três cilindros 1.0 TSi com 115 cv. A gama fica completa com o 1.4 TSi que debita 150 cv.

Sem acusar a idade

O novo León pode não ser uma revolução. Mas, em estrada, revela-se um valor seguro. Mais, as mudanças introduzidas, podem ser subtis mas ajudam a resistir ao passar dos anos. É que já lá vão quatro anos desde o lançamento da mais recente geração do León. Até agora, o modelo que assenta na mesma plataforma do Volkswagen Golf, tem tido boa aceitação. E assim deverá continuar. Com versões três portas, cinco portas, e ST (carrinha), o maior rival do León pode vir de dentro. É que o SUV da marca espanhola, designado Ateca, parece estar a ser um sucesso. A plataforma é a mesma do León e mostra como as sinergias entre marcas, e mesmo dentro da própria mara, são vitais para o sucesso financeiro num futuro próximo.

É provável que esta renovação do León chegue para dar ao familiar compacto da Seat mais três ou quatro anos de vida. No próximo ano, os destaques da marca espanhola passam pelo novo Ibiza e por mais um SUV, desta vez para o segmento B, onde vai concorrer com modelos como o Renault Captur e o Nissan Juke.

FICHA TÉCNICA Seat León 1.6 TDi 115 cv

Motor
1598 cc
115 cv
250 nm às 1500 r.p.m. - 3250 r.p.m.

Transmissão
Dianteira
Caixa manual de 6 velocidades

Prestações
197 km/h vel. máxima
9,8s 0-100 km/h

Consumos
4,0 l/100 km ciclo misto
105g CO2/km

Preço: €27.800