Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

A Airbnb agora é uma agência de viagens

Brian Chesky, o CEO da Airbnb, apresenta a nova plataforma "Trips" no Airbnb Open, em Los Angeles

Stefanie Keenan

Plataforma de alojamento vai permitir, a partir desta quinta-feira, reservar experiências em 12 cidades. Voos e serviços, como aluguer de automóveis, reserva de restaurantes ou entrega de compras, virão a seguir

Nelson Marques

Nelson Marques

em Los Angeles

Jornalista

Imagine mergulhar na vida de Nelson Mandela através de um dos guarda-prisionais do antigo presidente sul-africano durante o tempo em que este esteve detido. Ou descobrir os segredos de Malibu, na Califórnia, com a lenda do surf Kelly Slater. Ou ainda apanhar trufas na Toscânia ou provar as iguarias de Los Angeles na companhia de uma "antropóloga gastronómica". Numa tentativa de tornar "as viagens mais simples e mágicas", Brian Chesky, o diretor-geral da Airbnb, anunciou hoje a maior revolução na plataforma desde que esta foi criada há 8 anos: o site deixará de ser um mero serviço de alojamento para permitir aos utilizadores reservar toda a experiência de viagem. Na prática, passa a partir desta quinta-feira a ser uma agência de viagens virtual "alimentada pela comunidade".

"Para muitas pessoas viajar é fácil, mas não é mágico", justificou Chesky na apresentação pública da nova plataforma "Trips" (Viagens), que decorreu no Airbnb Open, o encontro anual da multinacional de São Francisco, que reúne até sábado 7000 anfitriões e jornalistas em Los Angeles. "Quantas pessoas vão realmente aos lugares a que os locais vão? E quantas fazem realmente as coisas que estes habitualmente fazem?", questionou o co-fundador da empresa, exibindo imagens de marcos turísticos a abarrotar de gente.

Para responder a este desafio, a startup passa a permitir aos viajantes reservar experiências com anfitriões locais, que podem ter a duração de algumas horas ou prolongar-se por vários dias. Para já, vão estar disponíveis cerca de 500 Experiências em 12 cidades (Los Angeles, São Francisco, Miami, Detroit, Havana, Londres, Paris, Florença, Nairobi, Cidade do Cabo, Tóquio e Seul), mas o serviço será alargado a 39 outras cidades no próximo ano, incluindo Lisboa.

Guias, encontros e passeios recomendados por locais

A nova plataforma quer ainda estabelecer-se como uma alternativa mais enriquecedora às recomendações dos guias de viagem, "que canalizam sempre as pessoas para os mesmos sítios". Vai começar por oferecer "100 Insider Guidebooks", com dicas de especialistas culturais e moradores de seis cidades (Los Angeles, São Francisco, Havana, Nairobi, Detroit e Seul), mas outras vão juntar-se em breve. Além disso, terá uma funcionalidade "Lugares", com mais de um milhão de recomendações de anfitriões da Airbnb, revelando as joias escondidas dos seus bairros, desde cafés e restaurantes a parques e outras atrações locais. Os viajantes vão também ter acesso a áudio-guias a partir da primavera de 2017 e poderão participar em encontros dirigidos a hóspedes e anfitriões.

No futuro, a Airbnb vai também permitir a reserva de voos e de outros serviços, como aluguer de automóveis, reserva de restaurantes e entrega de compras. A visão é, em última análise, disponibilizar todos os aspetos de uma viagem. “Até agora, a Airbnb dedicou-se às casas” afirma Brian Chesky. “Hoje, lançamos a plataforma Trips, juntando o local onde ficamos, o que fazemos e as pessoas que conhecemos, num único lugar. Queremos devolver a magia ao ato de viajar, colocando as pessoas de novo no centro de qualquer viagem.”

  • A casa é sua, os milhões são dele

    A partir de três colchões insufláveis e de uma caixa de cereais, Brian Chesky e dois amigos construíram um negócio que pôs milhões de pessoas a dormir em casa de estranhos. Agora, querem revolucionar todo o mundo das viagens