Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Duas farmacêuticas detidas por alegada fraude ao SNS

Segundo a Polícia Judiciária, a proprietária e diretora de uma farmácia na região de Barcelos “estão indiciadas pelos crimes de burla qualificada, corrupção, falsificação de documento agravado e falsidade informática”

A Polícia Judiciária (PJ) deteve duas farmacêuticas na região de Barcelos, por suspeita de fraude ao Serviço Nacional de Saúde (SNS). As mulheres - proprietária e diretora de uma farmácia onde foram realizadas buscas - “estão fortemente indiciadas pelos crimes de burla qualificada, corrupção, falsificação de documento agravado e falsidade informática”.

“De acordo com os elementos apurados na investigação, a atividade criminosa passava por um esquema fraudulento de venda fictícia de medicamentos através da emissão de receitas médicas fictícias, a fim de que a taxa de comparticipação paga pelo Estado revertesse para as arguidas”, explica a Diretoria do Norte da PJ, em comunicado.

A operação foi desencadeada no âmbito de “investigações a práticas de fraude ao SNS, em inquéritos titulados pelo Ministério Público – DIAP do Porto”, precisa o mesmo comunicado, segundo o qual “a investigação prossegue no sentido de determinar todas as condutas criminosas e o seu alcance, bem como o prejuízo total causado ao Estado Português”.

As detidas, de 53 e 51 anos de idade, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas, adianta a PJ.