Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fenprof exige entrada de 30 mil professores precários na Função Pública

Trinta mil professores poderão entrar na Função Pública no âmbito do acordo de principio entre Governo, PCP e Bloco de Esquerda sobre a integração dos trabalhadores com contratos precários, Os números são da Fenprof, que exige que a classe docente faça parte do acordo

As contas incluem professores do ensino básico e do secundário com contratos a termo, segundo a Fenprof: 10 mil com mais de 10 anos anos de serviço no Superior, mais 3 mil que estão em condições de entrar para os quadros da Administração Pública e ainda cerca de 17 mil docentes das atividades enriquecimento curricular, que o sindicato considera falsos recibos verdes.

Também a Federação Nacional de Educação (FNE) fala de milhares de professores , que acumulam três contratos sucessivos e que devem entrar nos quadros. A FNE critica o facto de não terem sido ouvidos quanto a um entendimento, que por agora é um acordo de princípio para regularizar os vinculos precários de forma faseada.

Este fim de semana, o primeiro-ministro não quis confirmar o que os partido que apoiam o governo avançaram.

A medida abrange mais de 100 mil trabalhadores. Por agora não se sabe quanto vai custar aos cofres do Estado.

Quanto aos professores, no fim do mês começa ser negociado, entre o Ministério da Educação e os sindicato, o novo regime de concursos.