Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bastonário alerta que psicólogos têm de ter consciência do impacto das suas palavras

O bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses pronunciou-se sobre as queixas que tem recebido a propósito das declarações polémicas de Maria José Vilaça, que comparou a homossexualidade à toxicodependência

O bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), Telmo Mourinho Baptista, defendeu esta segunda-feira que os profissionais que prestam declarações públicas têm de ter consciência do significado das suas palavras e do impacto que podem ter.

"Há uma responsabilidade muito grande dos psicólogos que prestam declarações públicas, que têm de ter consciência do significado das suas declarações e do impacto que podem ter até para o grande público", disse à agência Lusa o bastonário, a propósito das declarações da presidente da Associação de Psicólogos Católicos, Maria José Vilaça, sobre a homossexualidade.

A psicóloga, que acompanha famílias e pais, em declarações à revista “Família Cristã, mencionou que para se aceitar um filho homossexual não é preciso aceitar a homossexualidade: "Eu aceito o meu filho, amo-o se calhar até mais, porque sei que ele vive de uma forma que eu sei que não é natural e que o faz sofrer. É como ter um filho toxicodependente, não vou dizer que é bom".

As declarações de Maria José Vilaça levaram à apresentação de dezenas de queixas à Ordem dos Psicólogos, que participou os factos ao Conselho Jurisdicional da Ordem, para que seja aberto um inquérito. "Aquilo que estamos a fazer é aquilo que faríamos em qualquer situação onde há queixas face a um psicólogo e, por isso, remetemos" a situação para o órgão competente, para "averiguar e ter a oportunidade de ouvir as partes, tanto a pessoa alvo de queixa, como os queixosos", explicou o bastonário.

Telmo Mourinho Baptista reiterou que os profissionais têm que ter "uma grande consciência" e "uma grande preocupação" com as declarações que proferem publicamente. "A passagem para os Media de uma posição, enquanto profissional, tem consequências", que muitas vezes são amplificadas, advertiu. Por isso, não devem fazer "generalizações abusivas", nem comentar casos que muitas vezes desconhecem, uma prática proibida pelo Código Deontológico, disse o bastonário que falava a propósito da Casa dos Psicólogos, que será inaugurada na terça-feira.

Falando sobre a nova sede da OPP, na Avenida Fontes Pereira de Melo, Telmo Mourinho Baptista disse que é a realização de "um desejo de longa data", de ter um espaço que permita "ter melhores condições de trabalho". A Casa dos Psicólogos conta com vários espaços para formação em permanência e um auditório com programação própria. "Vamos ter salas para formação, salas de reunião", o que permitirá aumentar a atividade da ordem e ter "uma oferta" de "mais serviços, mais qualidade e mais eventos" para os psicólogos, disse o bastonário.

A cerimónia de inauguração conta com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, uma presença, segundo o bastonário, de "grande significado", porque é "o reconhecimento da importância que os psicólogos têm na sociedade portuguesa".