Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Trunfo francês

d.r.

A Peugeot já é veterana nos SUV mas agora teve de se aplicar para dar resposta às ofensivas que chegam de vários construtores. O novo 3008 rompe com o passado, nas linhas e no que tem para oferecer. O jornalista Rui Pedro Reis esteve em Bolonha, onde conheceu em primeira mão este novo modelo da marca do leão

Rui Pedro Reis / SIC

Conhecer um francês em território italiano tem que se lhe diga. As estradas da região de Bolonha combinam o cenário romântico com traçados sinuosos que põem à prova o automóvel e potencial a vontade do condutor em fazer quilómetros.

Confesso que quando olhei para o 3008 pela primeira vez, no Salão de Paris, fiquei seduzido pelas linhas desta segunda geração do SUV (sport utility vehicle) da Peugeot. Um mês depois desse primeiro contacto, agora era chegado o momento de perceber como é na estrada aquele que é o modelo com que a marca espera entrar num novo capítulo de uma já longa história.

E a aposta de Carlos Tavares parece acertada. O português que comanda o grupo PSA já assumiu que a Peugeot quer ter um posicionamento acima das marcas generalistas. E a maior dificuldade nem está na criação de automóveis que combinem prazer de condução, conforto, segurança e atenção ao detalhe. O grande desafio é fazer com que o cliente se aperceba dessa aposta.

Agrada por fora, impressiona por dentro

Agrada por fora, impressiona por dentro

O design do novo 3008 rompe com o passado e confere um ar musculado a este SUV do segmento C. Mas é por dentro que o 3008 mais impressiona, com um bom nível de acabamento e uma lista de equipamento completa, mesmo nas versões menos equipadas.

Importa referir que são quatros as versões nesta fase de lançamento: Active, Allure, GT Line e GT. Quanto a motorizações a aposta no grupo PSA ainda vai claramente para o diesel, com destaque para o motor 1.6 Blue Hdi, 120cv (caixa manual ou automática) e com o 2.0 Blue Hdi a assumir o estatuto de topo de gama, nas variantes de 120cv e 150cv. A única motorização a gasolina disponível é o 1.2 Puretech 130cv. Este último revela uma excelente resposta, consumos reais na casa dos 6,0l aos 100km e um comportamento suave que os motores diesel não conseguem combater. No entanto, as vendas deste 1.2 vão ser residuais em Portugal, onde a clientela continua a preferir o bloco diesel.

Uma questão de frontalidade

Uma questão de frontalidade

A Peugeot assumiu aquilo que toda a gente já devia saber. Os SUV têm ares de todo o terreno mas a maioria dos clientes jamais usa um SUV em situações de fora de estrada. São veículos urbanos e procurados para uma utilização familiar. Por isso, não há versões 4x4. Mas, em opção, está disponível o sistema de tração otimizado que conta com cinco modos de utilização: Normal, Neve, Lama, Areia e ESP OFF.

Nos quilómetros que fiz fora de estrada, com piso de terra muito enlameado e escorregadio, o sistema anula com eficácia as faltas de tração. Mas o mais relevante é o comportamento em estrada, muito preciso, a mostrar o potencial da plataforma LMP2. Em estradas com piso em mau estado, e são muitas em Itália, a suspensão parece ser um pouco dura de mais. Mas, o que retira em conforto, recompensa em precisão.

Outro problema que está ultrapassado neste 3008 tem a ver com o volante de dimensões reduzidas. Ao contrário do que acontece noutro modelos como o 208, aqui é fácil encontrar uma posição de condução onde o volante não fica a obstruir o painel de instrumentos. Esse painel, importa referir, é um ecrã LED (fabricado pela Bosch) e que é de série em toda a gama.

1 / 3

<

2 / 3

3 / 3

Num veículo que se enquadra no segmento da moda, também não podiam faltar os gadgets de info-entretenimento e os sistemas de ajuda à condução. Os níveis de equipamento Allure e GT Line são os que oferecem uma lista de equipamento mais interessante. Destaque para o sistema de audio do fabricante francês Focal, que é opção, mas oferece uma qualidade de som pouco habitual nesta gama de preços.

Objetivos ambiciosos

A Peugeot reconhece o potencial deste 3008 e por isso acredita que pode chegar ao segundo lugar das vendas no segmento SUV-C, atrás do Nissan Qashqai. Os preços do novo 3008 começam abaixo dos 33 000€ para a motorização 1.6 Blue Hdi 120 cv. Quem faça poucos quilómetros pode optar pela versão com motor a gasolina, onde os preços começam pouco acima dos €30.000.

Ficha técnica

Peugeot 3008 1.6 Blue HDi 120 cv

Motor
1560 cc
120 cv
300 nm às 1750 r.p.m.

Transmissão
Dianteira
Caixa Manual de 6 velocidades

Prestações
189 km/h vel. máxima
11,2s 0-100km/h

Consumos
4,7l/100 km ciclo misto
104g CO2/km

Preço
€32.750 (Peugeot 3008 1.6 Blue Hdi Active)