Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Novo sismo de forte magnitude abala a Nova Zelândia

Segundo o site GeoNet, o sismo ocorreu a uma profundidade de 15 quilómetros.

Horas depois do sismo de 7.8 que atingiu o país no domingo e de o alerta de tsunami ter sido reduzido a apenas algumas zonas costeiras, há agora registo de um novo sismo com uma intensidade de 6.2

Ainda não há descanso na Nova Zelândia. Um novo sismo com uma escala de 6.2 foi registado a cerca de 120 quilómetros da cidade de Christchurch, na Ilha do Sul, a uma profundidade de 10 quilómetros, avança a Reuters, citando o U.S. Geological Survey.

O epicentro é, desta forma, no mesmo local onde no domingo à noite foi registado um forte sismo magnitude 7.8, que matou duas pessoas. Nesse abalo, de acordo com a Lusa, que citava a secretaria de Estado das Comunidades, não houve qualquer registo de vítimas portuguesas.

Esse sismo provocou um peqneo tsunami com ondas de dois metros e despoloetou um alerta para o todo o país de tsunami mais forte, com possíveis ondas de cinco metros. Um aviso que foi reduzido algumas horas depois, com o ministério da Defesa Civil a dizer no Twiteer que as pessoas que se tinham refugiado nas zonas altas podiam começar a voltar para casa.

Ainda assim, manteve o alerta para algumas de praia perto da capital, Wellington, que foi uma das cidades mais afectadas pelo abalo sentido no domingo.

Ou seja, a população continuou com algum receio, até porque esse sismo teve inúmeras réplicas que foram sentidas em todo o país com maior ou menor intensidade.

Agora com este novo sismo fica novamente tudo em aberto.

ROSS SETFORD/EPA

O primeiro sismo ocorreu pouco depois da meia-noite de domingo (11h em Portugal), com o epicentro a localizar-se a 93 quilómetros nordeste de Christchurch e a uma profundidade de 23 quilómetros.

Segundo o GeoNet, a magnitude deste abalo foi de de 7.5, mas o serviço geológico dos Estados Unidos da América indica uma magnitude de 7.8.

A Nova Zelândia fica situada no “Círculo de Fogo do Pacífico” um arco de falhas sísmicas no Oceano Pacífico, onde são comuns os tremores de terra. E a zona que agora foi mais atingida é uma das mais propícias a ser afectada. Em 2011, um sismo de magnitude 6.3 fez 185 mortos, precisamente em Christchurch.

Notícia atualizada à 1h30 de segunda-feira com registo de novo sismo