Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Emoção em Paris nas homenagens às vítimas dos atentados de há um ano

Daniel Ribeiro

Um ano depois das horríveis chacinas de civis durante os atentados do 13 de novembro, Paris vive um fim de semana de emocionantes comemorações. Sala de espetáculos Bataclan reabre este sábado ao público com um concerto de Sting e segurança máxima

A sala de espetáculos parisiense Bataclan reabre na noite deste sábado ao público com um concerto de Sting. A sala já estava a ser montada às oito horas da manhã (sete em Lisboa) com proteção policial, barreiras e acesso rigorosamente reservado apenas a pessoas devidamente credenciadas.

Um ano depois dos atentados terroristas em Paris, que fizeram 130 mortos e centenas de feridos na cidade (90 vítimas mortais só dentro deste mítico local de festa e concertos musicais), Paris vive um fim de semana de homenagens às vítimas daquela que foi considerada uma das mais abomináveis chacinas indiscriminadas de civis de que há memória na Europa.

A recordação dos atentados começou nesta sexta-feira à noite, no Estádio de França, durante um jogo de futebol entre a França e a Suécia (qualificativo para o próximo campeonato do mundo), com um emocionante minuto de silêncio e uma Marselhesa cantada em coro, de forma impressionante, pelas 90 mil pessoas que se encontravam nas bancadas. Foi no exterior do Estádio de França que tiveram início os atentados comandados pelo Daesh na noite de 13 de novembro.

No domingo, 13, as homenagens e celebrações continuarão com os parisienses e familiares das vítimas a serem convidados a marcarem presença nos diversos locais dos ataques terroristas que espalharam um pavor indescritível na capital francesa – algumas esplanadas de cafés da zona entre as praças da Bastilha, da República e da Nação, além do Estádio e do Bataclan.

As mais altas autoridades francesas, incluindo o presidente François Hollande, também se deslocarão aos diferentes locais onde, há um ano, se viveram cenas de horror absoluto que comoveram o mundo inteiro.

  • Bataclan reabre com Sting um ano depois

    “Na reabertura do Bataclan temos duas importantes tarefas: Primeiro, recordar e homenagear aqueles que perderam as suas vidas no ataque de há um ano, e segundo, celebrar a vida e a música que este histórico teatro representa”, afirmou o ex-líder dos Police