Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Facebook mata dois milhões de utilizadores por engano

Nem a página do próprio fundador e diretor do Facebook escapou à mortandade. “Recordando Mark Zuckerberg – nós esperemos que as pessoas que amam Mark encontrem conforto nas coisas que outros partilham para recordar e celebrar a sua vida”, foi a mensagem que surgiu no topo da sua página

As páginas de dois milhões de utilizadores do Facebook foram esta sexta-feira transformadas, durante um curto período, em memoriais de falecidos. Entre os afetados encontrou-se o próprio fundador e diretor da rede social, Mark Zuckerberg.

“Recordando Mark Zuckerberg – nós esperemos que as pessoas que amam Mark encontrem conforto nas coisas que outros partilham para recordar e celebrar a sua vida”, foi a mensagem que surgiu no topo da sua página.

A empresa criou a mensagem para ser colocada em páginas de utilizadores já falecidos, uma inovação a implementar futuramente, mas que por acabou por surgir já esta sexta-feira indevidamente.

Muitos dos 'precoces defuntos' expressaram o seu choque em comentários publicados no Twitter.

O Facebook apresentou depois as suas desculpas, explicando tratar-se de um erro relacionado com a inovação que estão a preparar.

“Durante um curto período do dia de hoje, uma mensagem destinada a páginas de memoriais foi erradamente publicada em outras contas. Isto foi um erro terrível que nós já resolvemos. Nós lamentamos muito o sucedido e nós trabalhámos o mais rápido possível para resolver isso”, afirmou um porta-voz da empresa.

Os familiares podem solicitar ao Facebook que transforme as páginas dos seus entes falecidos em memoriais, sendo necessário para tal enviar um pedido formal à empresa, com alguns dados que permitam comprovar o óbito.

Nestes casos, as suas páginas deixam de surgir entre as sugestões de pessoas a adicionar como amigos, assim como deixam de surgir os alertas dos seus aniversários.