Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Juiz decide se Pedro Dias fica em prisão preventiva

O suspeito de duplo homicídio é ouvido esta manhã na Guarda. Irmã não foi constituída arguida

DR

A PJ tem fortes suspeitas de que a irmã de Pedro Dias, o homem que se entregou às autoridades esta terça-feira em Arouca, o tenha ajudado na fuga. Mas não a pode constituir arguida já que a lei não o permite, por ser familiar do suspeito. Andreia foi esta quarta-feira interrogada pela PJ da Guarda, bem como uma mulher de 61 anos que também é suspeita de ter ajudado 'Piloto' (alcunha que deriva do facto do suspeito ter um brevet) a esconder-se durante as últimas semanas.

Na manhã desta quinta-feira, Pedro Dias, que é suspeito de duplo homicídio e de sequestro, vai ser ouvido por um juiz de instrução da Guarda. O magistrado irá decidir se fica em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa.

Deverá ainda autorizar que o fugitivo de Aguiar da Beira faça testes de ADN, determinantes para a investigação.