Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quatro farmacêuticos detidos por fraude ao SNS

Atividade criminosa consistia "num esquema fraudulento de venda fictícia de medicamentos através da emissão de receitas médicas fictícias", diz a PJ. Fraude será de um milhão de euros

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Quatro farmacêuticos foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) no Porto e são suspeitos dos crimes de burla qualificada, corrupção, falsificação de documento agravado e falsidade informática.

Dois dos detidos são proprietários de farmácias do Grande Porto e os outros dois são diretores técnicos de duas daqueles estabelecimentos. Têm entre os 36 e os 65 anos e foram sujeitos ao primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

As detenções surgem no âmbito de investigações da PJ a práticas de fraude ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), em inquéritos titulados pelo DIAP do Porto.

Segundo a PJ, a atividade criminosa consistia num esquema fraudulento de venda fictícia de medicamentos através da emissão de receitas médicas fictícias, a fim de que a taxa de comparticipação paga pelo Estado revertesse para os suspeitos.

No decurso das buscas realizadas, todas na área metropolitana do Porto, "foi recolhida prova que indicia fortemente a prática deste esquema fraudulento, tendo-se apurado um valor de fraude ao SNS aproximado de um milhão de euros nas três farmácias buscadas".