Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Sargento americano da Base das Lajes detido pela PJ

Militar norte-americano terá violado várias vezes uma mulher e tentado matá-la de seguida. Foi detido esta terça-feira na ilha Terceira. Autoridades dos EUA colaboraram com Portugal

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Um sargento norte-americano que trabalha na Base das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ). O homem é suspeito de ter violado várias vezes uma mulher de nacionalidade portuguesa, tendo depois tentado matá-la.

O Expresso sabe que o militar de 27 anos já estava em Portugal "há algum tempo", preparando-se para terminar a comissão de serviço.

As autoridades norte-americanas "mostraram disponibilidade total com a PJ no caso", revela ao Expresso João Oliveira, coordenador da PJ nos Açores. "Deparámos com as dificuldades normais pelo facto de o suspeito ser um militar, mas houve uma estreita colaboração das autoridades dos EUA com a Justiça portuguesa." Este responsável lembra que "o crime não tem natureza militar".

João Oliveira revela ainda ainda que a vítima denunciou o militar esta terça-feira de manhã e ao final do dia o norte-americano foi detido por inspetores da PJ dos Açores.

Segundo o Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada da PJ, "os factos ocorreram na ilha Terceira, tendo o autor tirado vantagem do facto de conhecer a vítima, a quem convenceu a aceitar uma boleia no seu veículo automóvel, levando-a, contra a sua vontade, para local isolado, onde a agrediu e violou" na Praia da Vitória.

Depois, ainda segundo a PJ, "levou-a para um outro local, junto à orla costeira, onde a voltou a sujeitar a violação, tendo-a agredido com arma branca e tentado matar por afogamento, no intuito de evitar que ela denunciasse os crimes de que foi vítima".

João Oliveira adianta ao Expresso que a vítima e o alegado agressor "eram conhecidos". A mulher "conseguiu fugir do local" com a ajuda de terceiros e horas mais tarde recebeu tratamento médico, não correndo neste momento perigo de vida.

O militar norte-americano, que é suspeito da prática dos crimes de violação, rapto, ofensas à integridade física e homicídio na forma tentada, deverá ser presente a primeiro interrogatório judicial ainda esta quarta-feira, para aplicação das medidas de coação.