Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Família terá ajudado fugitivo de Aguiar da Beira

DR

Nenhum dos familiares de Pedro Dias aceitou ceder uma amostra de ADN à equipa de investigação da Polícia Judiciária. Pais do fugitivo terão transferido 30 mil euros para este no dia a seguir ao crime

No dia a seguir ao crime em Aguiar da Beira, a 11 de outubro, a Polícia Judiciária detetou movimentações suspeitas nas contas dos familiares de Pedro Dias. Foram levantados 30 mil euros de uma conta conjunta dos pais do fugitivo, dinheiro que foi depois transferido para uma aplicação financeira, avança o “Correio da Manhã” esta segunda-feira.

Os familiares de Pedro Dias confirmaram esta movimentação após terem sido confrontados pela Policia Judiciária. Em termos penais, a família não pode ser indiciada por estar a proteger o filho, lembra o matutino.

A possibilidade de os familiares de Pedro Dias estarem a ajudá-lo ganhou ainda mais força quando foram feitas buscas à casa do casal progenitor. O pai não terá estado presente e isso levantou suspeitas à PJ. Mais tarde, não aceitou prestar qualquer ajuda aos investigadores e recusou mesmo, quando confrontado com a situação, a possibilidade de o filho ter cometido os homicídios.

Relativamente aos vestígios de sangue encontrados na Casa da Eira, em Paços, Sabrosa, há alguns dias, – que se suspeita poderem ser de Pedro Dias – ainda não foi possível confirmar do ponto de vista científico a sua proveniência. Nem os pais nem a irmã de Pedro Dias aceitaram ceder uma amostra de ADN à equipa de investigação.