Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ministro da Cultura recorda “mestre do diálogo”

Em nota de pesar, onde lamenta a morte de João Lobo Antunes, o ministro Luís Castro Mendes lembra-o como um homem “exemplar na dedicação à causa pública”

O ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, lamentou a morte do neurocirurgião João Lobo Antunes, que classificou como "mestre do diálogo", numa nota de pesar difundida hoje pelo seu gabinete.

"O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, lamenta a morte de João Lobo Antunes, homem da ciência e da cultura, sempre atento e aberto à interrogação das questões fundamentais, de curiosidade universal", refere a nota.

Castro Mendes acrescenta que João Lobo Antunes "foi mestre do diálogo entre a ciência e a cultura humanística e exemplar na dedicação à causa pública".

João Lobo Antunes, 72 anos, neurocirurgião, presidente do Conselho Nacional da Ética para as Ciências da Vida morreu esta quinta-feira .

  • Balsemão: “Perdi um bom amigo”

    Era “um grande neurocirurgião e um professor respeitado e admirado. Mas era muito mais que isso. Era um “homem de cultura” e “um cidadão interveniente”. Quem assim evoca João Lobo Antunes é Francisco Pinto Balsemão, fundador e primeiro diretor do Expresso. João Lobo Antunes morreu esta quinta-feira, aos 72 anos, vítima de melanoma