Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Comandos: autópsias comprovam mortes por “golpe de calor”

INVESTIGAÇÃO. Hugo Abreu e Dylan Almeida morreram no primeiro dia de treinos, e segundo do curso, a 4 de setembro

Os resultados dos exames enviados esta sexta-feira para o DIAP de Lisboa revelam que Hugo Abreu e Dylan Silva foram vítimas de um “golpe de calor” no segundo dia do 127.º curso dos Comandos

A notícia está a ser avançada pela RTP e já foi confirmada ao Expresso por fonte do processo. O relatório das autópsias a Hugo Abreu e Dylan Silva tinha sido entregue esta sexta-feira ao DIAP de Lisboa pelo Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF.

Os dados oficiais dos peritos do INMLCF confirmam a informação avançada pelo Expresso logo no dia seguinte aos incidentes no campo de tiro de Alcochete onde se realizava o segundo dia do 127.º curso dos Comandos, a 4 de setembro.

Na altura, e de acordo com uma fonte hospitalar, o soldado Dylan Silva, tinha admitido nas Urgências do Hospital do Barreiro, no dia 4 de setembro, depois das 23h, com uma temperatura corporal de 42 graus (mais seis graus do que o normal). Viria a morrer no sábado seguinte.

Horas após a morte em Alcochete do primeiro militar, Hugo Abreu, o Exército fez um comunicado em que já usava a mesma expressão, revelando que o médico que acompanhava a instrução diagnosticou “um golpe de calor” ao jovem militar de 20 anos.

O "Correio da Manhã" avança ainda que Dylan Silva foi alvo de agressões, um dado que não foi porém confirmado pelas mesmas fontes ao Expresso.