Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Histórias de Rimar: Mundo invisível

Estes são dias de muitas contas e previsões. Mas são também, em muitos casos, dias de família. Aproveite e leia esta história aos mais pequenos lá de casa

A. Filipa. M (texto), João Carlos Santos (ilustrações)

No mundo invisível
Tudo pode acontecer
Nada é impossível
Por muito que custe crer

No dia em que o conheci
Tudo me pareceu familiar
Na altura não percebi
Pensei estar a delirar

Como podia sentir-me tão bem
Num mundo que não conhecia
Não conseguia ouvir ninguém
A dizer-me o que devia

O mundo invisível
Não existe em paralelo
É da realidade indivisível
Como a torre é do castelo

Nele pode acontecer
Muito do que no outro não deixam
Não há limites a ter
Porque os sonhos não se queixam

Se encontra vasos vazios
Não lhe consegue pôr flores
Mas pode dar às maçãs
Muitos e diferentes sabores

Se o céu está cinzento
E carregado de nuvens
Não me falta o alento
Porque voo sem penugens

Se estou num dia mau
Em que só vejo gente feia
Chamo o perna-de-pau
E tira-ma logo da ideia

Quando estou muito triste
E preciso de um abraço
Lembro-me que ele existe
E fico lá um pedaço

Se estou muito contente
E quero festejar
Não preciso de chamar gente
Para me vir animar

No mundo invisível
Toca a música que quero ouvir
E posso tornar audível
O grito que quer sair

Desde que conheci este mundo
Não o quero mais perder
Mesmo num poço profundo
Vem-me sempre socorrer