Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Educação Física vai contar para a média de entrada na universidade

Rui Duarte Silva

Desde 2012, por decisão do ex-ministro Nuno Crato, a classificação de Educação Física não contava para o apuramento da média do ensino secundário e de acesso ao Ensino Superior. Ministério diz que estão a “criar-se condições para a valorização da disciplina”. Professores consideram que foi reposta a justiça

A nota de Educação Física vai voltar a contar para a média de acesso ao Ensino Superior já no próximo ano letivo. A medida foi anunciada na passada sexta-feira pelo secretário de Estado da Educação João Costa, num encontro com professores da disciplina, e entretanto confirmada pela tutela.

“No quadro mais amplo de trabalho que se encontra em curso com as associações de professores sobre a gestão do currículo, estão a criar-se condições para a valorização da disciplina de Educação Física. Isto assenta num princípio de valorização de todas as áreas do currículo, mas também no desenvolvimento de uma reflexão profunda com o sector que permita sanar as questões associadas à avaliação nesta disciplina”, disse fonte oficial do Ministério da Educação.

Contactado pelo Expresso, o presidente do Conselho Nacional de Associações de Professores e Profissionais de Educação Física (CNAPEF) manifestou-se satisfeito com a medida – que na sua opinião – repõe a justiça entre disciplinas. “Antes de mais trata-se de uma questão de paridade. Infelizmente a Educação Física deixou de contar para a média de entrada no Ensino Superior com o infeliz decreto de Nuno Crato, em 2012. Mas não fazia sentido. Um aluno não pode ser bom só com Português e Matemática, mas com competências globais”, diz ao Expresso Avelino Azevedo, presidente do CNAPEF.

A medida, defende o professor, demonstra que o Governo entende a importância da Educação Física para definir o perfil de um bom aluno e de um profissional. “Ainda no simpósio que se realizou esta sexta-feira vários profissionais e pessoas fora da área da Educação Física vieram defender a importância da disciplina no desenvolvimento das capacidades dos alunos”, sublinhou.

A nota de Educação Física passará a contar para a média de acesso ao Ensino Superior no ano letivo de 2017/2018 para os alunos que entrarem no 10.º ano e será sucessivamente alargada aos anos seguintes.

Garantir a disciplina aos mais pequenos

Avelino Azevedo explicou ainda que uma das prioridades do CNAPEF é que as escolas e os agrupamentos possam desenvolver o programa de Educação Física desde o pré-escolar ao 12.º ano, de acordo com as reais potencialidades do aluno. Neste momento, os representantes dos professores de Educação Física estão a ter reuniões com o Ministério da Educação para definirem em conjunto as competências essenciais da disciplina, tal como está a ser feito para as outras cadeiras.

“Estamos a ser ouvidos pela tutela e vamos ouvir também instituições do Ensino Superior e professores. O Governo pretende concluir a discussão no próximo ano civil para que as mudanças possam entrar em vigor no ano letivo 2017/2018”, adiantou.

Foi durante a cerimónia de encerramento do “Simpósio Aprender no Século XXI – Mais Exercício, Maior Sucesso, Melhor Futuro”, que decorreu na sexta-feira na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa, que o secretário de Estado da Educação afirmou que a disciplina voltará a contar para a entrada na Faculdade.

Além de se ter realçado a importância da Educação Física, os participantes do debate lamentaram a ausência de uma efetiva Expressão e Educação Físico Motora no 1.º ciclo do Ensino Básico, defendendo que é essencial haver um trabalho para assegurar uma disciplina que desenvolva as capacidades das crianças em todo o país.