Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Iraque adia outra vez decisão sobre imunidade

d.r.

Iraque mostra disponibilidade dos filhos do embaixador iraquiano em Lisboa para serem desde já ouvidos no inquérito em curso mas diz ser prematuro a questão da imunidade diplomática dos filhos do embaixador iraquiano que agrediram Rúben Cavaco em Ponte de Sor

O Ministério dos Negócios Estrangeiros informa que recebeu, no final desta quinta-feira, do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Iraque a nota oficial de resposta à nota enviada pelo MNE, no passado dia 25 de agosto.

A nota iraquiana, citada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, "agradece as indicações oportunamente fornecidas sobre o sistema judicial e o direito processual portugueses"; afirma "que o Iraque entende e respeita por completo os procedimentos legais aplicáveis, conduzidos pelas autoridades judiciárias portuguesas"; reitera "a vontade de cooperar para o cabal esclarecimento dos factos"; e "dá contada disponibilidade dos filhos do Embaixador iraquiano em Lisboa para serem desde já ouvidos no inquérito em curso", considerando, todavia, "ser ainda prematuro tomar uma decisão a respeito do pedido de levantamento de imunidade".

O MNE revela ainda que a nota iraquiana foi remetida esta sexta-feira ao gabinete da Procuradora-Geral da República, "para ser considerada no âmbito do inquérito em curso sobre os incidentes de Ponte de Sor".

Na semana passada o MNE esteve reunido com a diplomacia iraquiana tendo discutido a questão do levantamento da imunidade diplomática aos dois filhos do embaixador do Iraque em Lisboa. A resposta do Bagdade chegou esta sexta-feira ao Palácio das Necessidades e é agora conhecida.

Entretanto um representante do embaixador do Iraque anunciou a Vilma Boto Pires, mãe de Rúben Cavaco, o jovem agredido em Ponte de Sor pelos gémeos iraquianos, que as despesas hospitalares relativas ao internamento do jovem tinham sido pagas pela diplomacia de Bagdade. "Foram quase 12 mil euros", anunciou a família ao Expresso.