Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Anticiclone dos Açores deixou o continente “muito quente e seco” em setembro

De acordo com o Boletim Climatológico publicado esta sexta-feira no site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera as regiões do Norte e Centro e interior do Alentejo estiveram à mercê de uma onda de calor

O mês de setembro foi "muito quente e seco" em Portugal, por influência de um anticiclone que se manteve localizado nos Açores, e ficou marcado por uma onda de calor, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o Boletim Climatológico publicado esta sexta-feira no site do IPMA, a formação de depressões de origem térmica no interior da Península Ibérica e a passagem de sistemas frontais em geral de fraca atividade condicionaram também o estado do tempo em Portugal continental.

O IPMA realça a ocorrência de uma onda de calor, com início a 1 de setembro, em grande parte das regiões do Norte e Centro e interior do Alentejo.

Já os dias 5 e 6 de setembro tiveram valores de temperatura média do ar muito elevados, tendo sido excedidos os recordes da temperatura máxima em grande parte do território do continente (73% das estações).

Em relação ao dia 6, o boletim climatológico analisou uma temperatura média de 29,2 graus Célsius, sendo o dia mais quente do ano em Portugal continental.

Neste dia, os valores médios da temperatura máxima (38,6°C) e da temperatura mínima (19,8°C) corresponderam também aos valores mais alto do ano.

O valor médio da temperatura média do ar foi de 21,51ºC, com uma anomalia de +1,29 graus Célsius, relativamente ao período de 1971-2000, sendo que em apenas 14% dos anos se alcançaram valores da temperatura média superiores aos de 2016.

O boletim salienta ainda que o valor médio da temperatura máxima, 28,96ºC, foi muito superior ao valor normal, com uma anomalia de +2,66 graus Célsius e corresponde ao terceiro valor mais alto desde 1931.

O valor médio da temperatura mínima do ar, 14,07°C, foi próximo do valor normal, segundo o documento.

Em relação à precipitação, o mês de setembro foi seco na generalidade do território.

O total mensal de precipitação foi apenas cerca 58% do normal. Verificou-se, no entanto, a ocorrência de aguaceiros fortes, em especial na região do noroeste, nos dias 13 e 24 de setembro, tendo os valores de precipitação diária em alguns locais sido superiores a 20 milímetros.

De acordo com o índice meteorológico de seca do IPMA, no final do mês de setembro verificou-se, em relação ao final do mês de agosto, um aumento da área em situação de seca fraca nas regiões Centro e Sul, assim como em alguns locais na região Norte.