Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

GNR ferido em S. Pedro do Sul foi vítima de disparo acidental

  • 333

PAULO NOVAIS / Lusa

O militar do comando territorial da GNR de Viseu integrava o dispositivo de buscas que operou naquele local à caça de Pedro Dias

O militar da GNR que ficou ferido há uma semana em São Pedro do Sul, nas buscas para encontrar o suspeito dos homicídios de Aguiar da Beira, foi vítima de um disparo acidental, aparentemente da própria arma.

"Foi um disparo acidental, o chamado 'fogo amigo', aparentemente da própria arma", disse esta terça-feira à agência Lusa o major Marco Cruz, relações públicas da GNR, aludindo ao incidente ocorrido na tarde de dia 11, na zona de Candal, São Pedro do Sul, distrito de Viseu.

O militar do comando territorial da GNR de Viseu integrava o dispositivo de buscas que operou naquele local, em zona de difíceis acessos, íngreme e com vegetação densa, e terá tropeçado, vindo a ser atingido pelo disparo da própria arma.

A mesma fonte confirmou que o militar ficou ferido numa perna, foi assistido no hospital, "mas teve alta logo de seguida", e já voltou ao serviço.

O homem suspeito de matar um militar e um civil, em Aguiar da Beira, distrito da Guarda, além de ter causado ferimentos a outras duas pessoas, uma delas também militar da GNR, tem sido procurado pela GNR e pela Polícia Judiciária desde o dia 11, data dos primeiros acontecimentos.

Na fuga, o homem terá sido já localizado em Arouca, distrito de Aveiro, de onde será natural, e na zona de São Pedro do Sul.
No domingo, uma patrulha da GNR também o terá localizado em Vila Real, mas o homem acabou por conseguir novamente fugir.

Na segunda-feira, ao final da tarde, junto à aldeia de Carro Queimado, naquele concelho transmontano, foi encontrada a viatura que o homem terá roubado em Arouca para se deslocar até Vila Real. Em Arouca, o homem também terá sequestrado duas pessoas, causando-lhes igualmente alguns ferimentos.

A GNR mantém um dispositivo no terreno para tentar deter o suspeito dos crimes de Aguiar da Beira, centrando hoje atenções na zona de Vila Real, numa operação que envolve igualmente elementos da Polícia Judiciária, responsável pela investigação do caso.