Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aguiar da Beira. Viatura de fugitivo foi encontrada em Vila Real

  • 333

DR

Estrada junto ao local onde foi encontrada a viatura de Pedro Dias está cortada. Cerco ao homem suspeito de matar um militar da GNR e um civil, em Aguiar da Beira, aperta-se. Contingente policial tem sido reforçado nos últimos minutos

Pedro Dias, de 44 anos, continua a monte, mas as autoridades estarão neste momento muito perto do local onde se refugiou no último dia em Vila Real.

Ao Expresso, uma fonte da investigação diz que a viatura – uma Opel Astra branca – com que fugiu de Arouca no último domingo foi encontrada em Vila Real pela Polícia Judiciária.

A estrada junto ao local está cortada por uma equipa da GNR. O veículo foi entretanto enviado para as instalações da PJ para ser analisado pela perícia.

Na operação foram realizadas buscas a uma vivenda na localidade de Carro Queimado em Vila Real, propriedade de um casal de emigrantes. O contingente policial tem sido reforçado nos últimos minutos. Entretanto foi alargado o perímetro de buscas para encontrar o fugitivo.

As autoridades admitem que o indivíduo poderá estar ferido, mas não adiantam mais pormenores. “Dispomos de elementos que nos levam a crer que Pedro Dias se encontra ferido, mas trata-se apenas de uma suspeição”, adianta fonte do processo.

Este domingo, Pedro Dias assaltou uma casa na freguesia de Moldes, perto de Arouca, tendo sequestrado um casal de idosos. Fugiu para Vila Real na viatura. O indivíduo invadiu a casa por volta das 13h30, quando o casal se preparava para sair na viatura.

O indivíduo foi avistado no domingo em Constantim, uma freguesia próxima em Vila Real.

Pedro Dias é o alegado homicida responsável pelas mortes de um militar da GNR e um civil na passada terça-feira e que desde então está em fuga com duas armas, uma delas de um dos militares baleados. Um outro militar da GNR ficou gravemente ferido, bem como a mulher do homem assassinado na madrugada de terça-feira.

Durante a fuga, ainda na tarde de terça-feira, Pedro Dias baleou um outro militar da GNR e fugiu das autoridades que o perseguiam em S. Pedro do Sul.

No cadastro de Pedro Dias não constam crimes de sangue. Nos últimos anos estava referenciado por diversos tipos de furto, entre eles de aves exóticas e de cobre. É também suspeito de violência doméstica.