Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ admite que homicida de Aguiar da Beira tenha fugido para Espanha

  • 333

PAULO NOVAIS/ Lusa

Autoridades estimam que a captura de Pedro João Dias poderá ainda demorar alguns dias. Fonte da PJ nega que tenha sido enviada qualquer equipa de investigadores para Espanha. Guardia Civil confirma colaboração com Portugal

A Polícia Judiciária (PJ) não coloca de parte a hipótese que Pedro João Dias, de 44 anos, suspeito de matar um militar da GNR e um civil em Aguiar da Beira, distrito da Guarda, tenha escapado para Espanha. Esta sexta-feira ao Expresso, fonte da investigação assegurou que não foi enviada qualquer equipa para o país vizinho.

Ao contrário do que foi noticiado na noite de quinta-feira, Pedro João Dias não foi detetado na zona de Salamanca, a mais de duzentos quilómetros de distância de São Pedro do Sul, o último local onde foi visto pela GNR. São mais de duas horas de viagem de carro entre as duas localidades.

O mesmo responsável da PJ explica que “se tal tivesse acontecido teria sido acionado um mecanismo internacional”, de forma a articular as investigações com as autoridades do país vizinho.

A Guardia Civil revelou ao Expresso que está a colaborar com Portugal na caça ao homem mas não divulgou pormenores.

Em todo o caso, as notícias que dão conta que Pedro João Dias teria assaltado uma carrinha já em Espanha não foram confirmadas ao Expresso.

Pedro João Dias está em fuga desde a madrugada de terça-feira. É suspeito de ter morto Carlos Caetano, 29 anos e militar da GNR, e de ter ferido com gravidade António Ferreira, 41 anos. Durante as primeiras horas de investigação, as autoridades encontraram no local mais duas vítimas civis: uma gravemente ferida e outra já morta. Embora ainda não tenha sido oficialmente confirmada a ligação entre ambos os casos, as autoridades admitem que existe uma “forte probabilidade” de conexão.

Chegaram a estar destacados 200 operacionais nas buscas pelo suspeito. Entretanto, na quarta-feira ao começo da noite, a Guarda Nacional Republicana suspendeu as buscas entre São Pedro do Sul e Arouca.

Pedro João Dias nasceu em Angola, mas cresceu em Arouca. Terá recebido treino militar básico em Portugal e estava referenciado por furto. Quem o conhece diz que andou metido “em algumas aventuras” - mas nada do género de que é agora suspeito.

[artigo atualizado às 12h10]