Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Protesto de taxistas. “Não devemos arredar pé daqui”

  • 333

José Caria

Terminada a reunião de emergência no Ministério do Ambiente, Antral e Federação Portuguesa do Taxi dizem não ter conseguido nenhuma das garantias exigidas. Manifestação é para continuar “por tempo indeterminado”

É para continuar, e “por tempo indeterminado”, a manifestação que os taxistas convocaram para esta segunda-feira, exigindo que sejam parados “os ilegais”. De volta à rotunda do Relógio, em Lisboa, bem perto do aeroporto, onde continuam concentrados os manifestantes, os representantes dos taxistas que estiveram reunidos de emergência com o ministro do Ambiente disseram não ter conseguido “nenhuma das garantias” exigidas, razão porque vão continuar o protesto.

“Entendo que não devemos arredar pé daqui”, disse o presidente da Antral, Carlos Ramos, dirigindo-se aos taxistas, que se apressaram a saudar a decisão.

Também o presidente da Associação Portuguesa do Taxi, Florêncio Almeida, confirmou não ter sido possível chegar a acordo quanto às duas razões que deram origem à manifestação: o Governo não se comprometeu a estabelecer um contingente, nem a “parar” a atividade da Uber e da Cabify.

Florêncio Almeida terminou com um apelo aos taxistas, para “não sairem”, tendo minutos depois dito aos jornalistas que “há pessoas comprometidas com a Uber”, o que está a dificultar o diálogo com o Governo.