Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Os dez mandamentos da felicidade

  • 333

© Issei Kato / Reuters

Na ilha japonesa de Okinawa, há mais centenários do que em qualquer outro local do mundo. Dois autores espanhóis foram perceber a razão da longevidade e encontraram 10 regras para a felicidade.

1- Mantenha-se sempre ativo, mesmo depois de reformado

Não é novidade que quem se reforma não deve cessar de repente toda e qualquer atividade. Nos EUA, o próprio conceito de "reforma" é algo estranho, com muitas personalidades da vida empresarial e pública daquele país a serem extremamente ativos e participantes bem depois dos setentas - Warren Buffet tem 86 anos, como George Soros, Bill Clinton tem 70 anos e todos têm ainda muito para dar. Estar ocupado a fazer algo que gostamos, manter uma atividade ajuda a dar significado à vida. No Japão, muitos não se reformam nunca, desde que a saúde assim permita. Muitos têm até uma ocupação principal e outra secundária - um hobby -, a que dedicam mais tempo a partir do momento em que passam a ser mais disponibilidade.

2- "Keep calm and carry on"

O stress é dos elementos da vida moderna mais prejudiciais à saúde. "Um stress prolongado no tempo é generativo, já que um estado de alerta permanente afeta os neurónios associados à memória e produz uma inibição da secreção de algumas hormonas, cuja carência pode causar depressão", pode ler-se no livro "Ikigai – Viva bem até aos 100" (Editora Albatroz). Os truques dos japoneses para combaterem o stress passa por tomar banhos demorados, massajar a cabeça com a ponta dos dedos, praticar mindfulness e manter tudo à sua volta (casa, secretária) limpo e organizado. Dormir bem também ajuda a retardar o envelhecimento.

3- Pare de comer antes de se sentir cheio

Fazer a digestão implica um elevado dispêndio de energia ao nosso corpo. Quanto mais comemos, mais aceleramos o processo de envelhecimento, a ciência comprova. "Os nativos de Okinawa param de comer quando sentem que o estômago está a 80%, em vez de se saciaram por completo, obrigando o corpo a desgastar-se e a acelerar a oxidação celular para poder fazer uma digestão prolongada", explicam os autores. E há outro truque que os japoneses usam e que funciona: servir a comida em pratos pequenos, para comer menos. "Esta é a razão pela qual os ocidentais que vivem no Japão tendem a perder peso e a manter um corpo esbelto", lê-se na obra. Os supercentenários japoneses têm ainda uma dieta rica em tofu, batata doce, peixe e muitos legumes.

Em Okinawa, no Japão, existe um número de supercentenários (com mais de 110 anos) como não existe em mais lugar nenhum

Em Okinawa, no Japão, existe um número de supercentenários (com mais de 110 anos) como não existe em mais lugar nenhum

© KYODO Kyodo / Reuters

4- Cultive os amigos

Os amigos multiplicam a alegria dos bons momentos e dividem a dor dos maus. Viver sem amigos é perder anos de vida. O sentimento de pertença, o convívio, os encontros para conversar, desabafar ou rir são fundamentais para uma vida cheia e longa. Em Okinawa, existe uma tradição forte de criar laços entre as comunidades locais, como se fossem todos membros de uma família. Muitas vezes, esse serviço à comunidade torna-se um motivo para acordar todos os dias. A atitude reforça também a sensação de segurança de todos, contribuindo para o aumento médio de vida.

5- Mantenha-se próximo da natureza

Quantos de nós não procuram instintivamente a natureza quando nos sentimos em baixo e regressamos melhor connosco próprios? A nossa ligação à terra tem tendência a carregar-nos a bateria. Em Okinawa, todos os centenários têm uma horta, plantações de chá ou de outros frutos. Mexer na terra dá saúde.

A proximidade com a natureza é um fator de equilíbrio para o ser humano

A proximidade com a natureza é um fator de equilíbrio para o ser humano

FRANCOIS GUILLOT

6- Smile!

Não é por acaso que nos pedem sempre para sorrir na hora de tirar uma fotografia. Não só favorece a maioria das pessoas, como predispõe para estar de bem com a vida. Quem ri e sorri vive mais. "Pudemos perceber a extraordinária amabilidade dos habitantes de Okinawa, que passavam o dia a rir e a brincar", recordam García e Miralles. "Uma atitude amistosa ajuda a fazer amigos e relaxa-nos."

Rir é mesmo o melhor remédio. A atitude positiva dá anos de vida

Rir é mesmo o melhor remédio. A atitude positiva dá anos de vida

Daniel Berehulak

7- Pratique exercício físico

Os benefícios do exercício físico estão já mais que comprovados pela ciência. Leva à libertação de endorfinas e serotonina, ajuda a libertar o stresse e a manter o corpo ágil. Pelo contrário, estar sentado longos períodos de tempo, seja no trabalho seja no sofá, conduz à falta de energia e à obesidade. Fazer caminhadas e subir escadas em vez de usar o elevador e substituir os lanches por fruta são opções que lhe trarão retorno.

YOSHIKAZU TSUNO

8- Dê graças pelo que tem

Dedicar um momento do seu dia para agradecer pelo que tem obriga-o a focar-se nas coisas boas da sua vida – que muitas vezes tendemos a não valorizar suficientemente. "Ter consciência da inconstância das coisas não deve entristecer-nos, mas ajudar-nos a amar o presente e as pessoas que nos rodeiam", lê-se.

9- Viva o momento

Aqui e agora. Isso é tudo o que interessa. Saber parar a mente e o pensamento – sem ficarmos ansiosos por tudo aquilo que ainda "temos" de fazer - é meio caminho para nos focarmos e saborearmos o que realmente interessa: o presente. Há quem chame a essa arte de parar mindfulness. Ou não fazer várias tarefas ao mesmo tempo. Aprecie cada momento, com vagar.

10- Já ouviu falar de resiliência?

Os japoneses chamam-lhe "ikigai" – o equivalente à nossa resiliência. No fundo, é a capacidade de lutar contra ventos e marés face a um objetivo que sabemos que queremos atingir. Pelo caminho, chovam pedras ou bolas de fogo, não há nada que nos pare. "Uma pessoa resiliente sabe concentrar-se nos seus objetivos, naquilo que é importante, sem desanimar. É uma atitude que nos permite focar no que é verdadeiramente importante e não no que é urgente." Uma boa mensagem.