Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Finanças vão investigar atuação do fisco em relação a Carlos Alexandre

  • 333

Juiz estranhou a atuação da Autoridade Tributária em relação à declaração de impostos que apresentou com a mulher e considerou que podia haver “uma intenção” na atuação do fisco. Ministério das Finanças vai investigar atuação do Fisco

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Depois de o juíz Carlos Alexandre ter levantado suspeitas sobre a atuação do Fisco na recente entrevista concedida ao Expresso, a Direção-Geral da Autoridade Tributária solicitou à Inspeção Geral de Finanças “a realização de um inquérito à atuação da Autoridade Tributária em causa”.

A informação foi adiantada pelo Ministério das Finanças ao Expresso, em resposta às questões endereçadas pelo jornal, solicitando uma reação.

Na entrevista, e a propósito da apresentação das suas declarações de rendimentos e bens de que é proprietário, o juíz referiu que «a AT, em virtude de a certa altura ter chegado à conclusão que a minha declaração era liquidada tardiamente (em agosto em vez de julho), fez comparecer perante a minha mulher uma equipa de inspetores para saber a razão do atraso. Concluíram que foi tudo declarado ao cêntimo. Isto foi há 4 ou 5 anos».

Noutra passagem, após falar sobre o facto de haver pessoas a fazerem perguntas no Alandroal, onde o juiz detém propriedades de família, Carlos Alexandre afirmou: «Um dia explicarei em público, no dia em que me quiser sujeitar ao processo criminal e disciplinar que daí advirá: saber porque é que a Direção-Geral da Autoridade Tributária decidiu empreender uma fiscalização ao momento em que era liquidado por terceiros funcionários do lote de 60 existentes na repartição e de sete mil existentes na AT. Um dia explicarei o meu pensamento sobre o procedimento da AT”.

E à pergunta “houve uma intenção?”, respondeu o juíz: “Podemos subentender isso”.