Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

A maior loja interativa de turismo do mundo abre portas no Porto

  • 333

Espaço dá a conhecer de forma rápida os principais pontos de atração turística da cidade e da região Norte e informações úteis sobre 86 municípios associados a este projeto. Trabalhadores manifestam-se contra rede que lhes roubou funções

André Manuel Correia

Procurada por cada vez maior número de visitantes, a cidade do Porto inaugurou esta terça-feira, Dia Mundial do Turismo, a maior loja interativa de turismo à escala mundial. O “Porto Welcome Center” (PWC) conta com um espaço de 450 metros quadrados e está localizado estrategicamente junto à estação ferroviária de São Bento, ponto de passagem para milhares de turistas todos os dias.

Através de tecnologia inovadora, os visitantes podem encontrar neste espaço várias informações relevantes, não apenas da cidade do Porto mas dos 86 municípios associados a este projeto promovido pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP).

Em declarações ao Expresso, o presidente da TPNP, Melchior Moreira. afirma que “não há em termos de dimensão de espaço físico outra loja como esta”, destacando a dimensão do espaço mas não só. “Não há nenhum destino mundial que tenha tantos parceiros em rede, ou seja, 86 municípios e mais de 1500 entidades privadas que aderiram a este projeto”, frisa.

O PWC surge integrado na rede de 65 lojas interativas de turismo dinamizadas pela TPNP e permite dar resposta ao fluxo turístico crescente na cidade e na região, uma vez que o sector é atualmente aquele com mais preponderância para a economia de grande parte das autarquias nortenhas.

A loja interativa, situada na Praça das Cardosas, distingue-se pelas valências tecnológicas e de informação: vídeos sobre a região e os 86 municípios que a compõem; animação, mapas, textos e descrições, com visitas virtuais e animação 3D; e aplicações para smartphones, entre outras tecnologias existentes.

Ao visitar o Porto Welcome Center, os turistas podem ser surpreendidos com uma ‘timeline’ da região, na qual têm acesso a todos os eventos que estão a decorrer em cada dia da semana. Percorrendo o espaço, encontra-se a zona de potenciação de venda de produtos da região, com uma forte aposta em tecnologia que cria uma experiência diferenciadora na aquisição.

No primeiro piso da loja está localizado um espaço totalmente dedicado à promoção regional e ao apelo da criatividade do próprio visitante: o ‘videowall’. O utilizador poderá ser passivo ou profundamente criativo. Neste equipamento é possível assistir aos vídeos promocionais dos municípios associados e dos parceiros da rede. Em alternativa, o turista poderá também escolher uma tela tecnológica e desenhar ou escrever o que quiser, partilhando no final a sua experiência.

Além de tudo isto, há ainda a Sala 360, na qual o turista pode aceder a um conjunto de informação visual e interagir com a mesma. Através de alguns toques nos dispositivos tecnológicos instalados por todo o espaço, os utilizadores ficam rapidamente a saber o que podem fazer, onde comer ou dormir, entre muitas outras informações úteis acerca dos concelhos associados à plataforma Porto e Norte.

Este welcome center teve um investimento total de 2,147 milhões de euros, com apoio do FEDER (ON2, 74%) e do PIT (Turismo de Portugal, 15%). O Turismo do Porto e Norte de Portugal passa assim a ter três lojas interativas âncora abertas: a do aeroporto Francisco Sá Carneiro, a de Santiago de Compostela e agora o PWC.

Alcançar a meta de sete milhões de turistas em 2017

O turismo na região do Porto e Norte de Portugal cresceu acima da média verificada em Portugal no primeiro semestre deste ano, atingindo um aumento de 15% face ao crescimento médio nacional de 10,2%. Em 2017, o TPNP espera que a região possa receber mais de sete milhões de turistas, aponta como meta Melchior Moreira, em declarações ao Expresso.

Também presente na inauguração do Porto Welcome Center esteve Rui Moreira, que reiterou os benefícios do sector para a cidade e para a região. “Porto e região Norte é um destino em crescimento, que tem em todos os ratings e avaliações uma qualidade extraordinária”, afirma o autarca.

Depois, Rui Moreira deixou uma mensagem a todos aqueles que define como os “arautos da desgraça” e que se mostram mais relutantes acerca do impacto do turismo. “Àqueles que dizem que o turismo não é bom, perguntar-lhes que outra indústria conhecem que seja tão transversal, que garanta tanto emprego a pessoas, muitas não-qualificadas e que de outra maneira não encontrariam trabalho”, questionou o presidente da Câmara do Porto, sublinhando que este é um sector de desenvolvimento “que faz com que o dinheiro chegue a o todo o lado”.

Trabalhadores em manifestação silenciosa na rua

À margem da festa animada, um protesto silencioso uniu sensivelmente duas dezenas de trabalhadores da Turismo do Porto e Norte de Portugal, que no exterior se manifestavam e aproveitavam para lançar críticas a Melchior Moreira.

Em declarações ao Expresso, a coordenadora do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional Ludovina Sousa explicou o motivo da concentração. “O presidente do TPNP pode fazer muitas inaugurações, mas nós vamos estragar todas. Porque ele está a tentar desfazer-se de cerca de 40 trabalhadores da TPNP. Pessoas que trabalhavam por aí, nos postos de turismo dos concelhos, e que com a criação da rede interativa de lojas de turismo vão ser enviados para a requalificação”, explicou a responsável sindical.

“Há trabalhadores que estão completamente sem funções há mais de um ano e meio, sem nada para fazer. Isto é assédio moral e estamos aqui para que ele saiba que lhe vamos dar guerra”, concluiu Ludovina Sousa.