Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Defesa de Sócrates desmente “confissão” de presidente do Grupo Lena: “Declarou exatamente o contrário”

  • 333

FOTO RUI DUARTE SILVA

Os advogados de José Sócrates dizem que tiveram acesso aos dois depoimentos de Joaquim Paulo Conceição e garantem que o presidente do Grupo Lena afirmou que nunca pagou “o que quer que fosse ao engenheiro Sócrates”

João Araújo e Pedro Delille, a dupla de advogados que defende José Sócrates, desmente que o presidente do Grupo Lena tenha confessado que foram pagos subornos ao ex-primeiro-ministro.

“Acontece que neste caso a defesa teve igualmente acesso a esta parte dos autos e pode esclarecer, nos depoimentos que o Dr. Joaquim Paulo Conceição prestou perante o responsável pela investigação e e perante o titular do inquérito, este declarou exatamente o contrário do que é dito: o Grupo Lena nunca pagou o que quer que fosse Engenheiro Sócrates, de quem nunca teve qualquer apoio político”.

O “Correio da Manhã” desta sexta-feira noticia, com base nos mesmos depoimentos, que o presidente do Grupo Lena confessou “subornos a Sócrates” e cita uma suposta frase de Joaquim Paulo da Conceição: “O Grupo Lena procurou apoio político através de Sócrates a quem pagava". O Grupo Lena também desmente "total e categoricamente” o pagamento de quaisquer comissões.

Em comunicado, o grupo diz que a manchete do matutino desta sexta-feira é "total e completamente falsa" e que as declarações atribuídas ao presidente-executivo "pura e simplesmente nunca foram proferidas", tendo Joaquim Paulo da Conceição sido ouvido na qualidade de testemunha e não de arguido.

Acusando o jornal de ter publicado uma "mentira difamatória", o Grupo Lena lamenta ser alvo de uma "perseguição" por parte do "Correio da Manhã" que tem consequências na sua reputação. " É inominável que, a pretexto de se justificarem determinadas teorias, se lance na lama a reputação de pessoas e empresas, de forma injustificada, cruel e despudorada, colocando em causa a sobrevivência de um grupo de empresas e a manutenção dos mais de dez mil postos de trabalho que, direta ou indiretamente, assegura nas várias geografias em que atua" , refere em comunicado.

O Grupo Lena adianta que já solicitou aos seus advogados para apresentarem outra queixa contra o jornal e garante que continuará a colaborar com a Justiça na investigação deste processo.

[Atualizada às 11h51]