Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Primeiro-ministro admite mais dinheiro para a Educação em 2017

  • 333

José Sena Goulão / Lusa

Sem referir valores, António Costa garantiu que o próximo Orçamento do Estado irá refletir de “várias maneiras” a prioridade que o Governo atribui a este sector

No dia em que o Governo em peso visita estabelecimentos de ensino de todo o país para assinalar o arranque de mais um ano letivo, António Costa escolheu a escola onde fez o ensino secundário, o renovado Liceu Passos Manuel, em Lisboa, para destacar um início de aulas que decorre com "toda a tranquilidade", de "forma normal". Não devia ser alvo de notícia, admitiu, mas os atrasos na colocação de professores que ocorreram nos últimos anos justificam agora este destaque.

No final de uma visita demorada aos vários espaços da escola, uma das primeiras a ser intervencionadas no âmbito do Programa de Modernização das Escolas Secundárias, levado a cabo pela Parque Escolar, e que causou polémica na altura pelo elevado custo das obras, António Costa fez, por isso, qestão de publicamente felicitar o ministro Tiago Brandão Rodrigues pelo "grande sucesso" na abertura do ano escolar, nomeadamente pela colocação atempada dos professores.

Questionado sobre a possibilidade de o próximo Orçamento do Estado (OE) prever um aumento das deduções fiscais relativamente às despesas das famílias com a educação, António Costa não entrou em detalhes mas garantiu que o OE 2017, que o Governo está agora concluir, irá "refletir de várias maneiras a prioridade" que o executivo dá à Educação. Seja no apoio às famílias, seja ao nível do. investimento.

Sobre uma possível redução do número de alunos por turma, medida que está inscrita no programa do Governo, coube ao ministro da Educação dar a resposta: "É uma preocupação nossa. Estamos a trabalhar no sentido de perceber as implicações em termos pedagógicos e financeiros".

António Costa fez ainda questão de sublinhar as duas prioridades do Governo em matéria educativa: "Igualdade de oportunidades e trabalhar para o sucesso escolar", destacando a distribuição gratuita de manuais a todas as crianças do 1.º ano e os programas de promoção de sucesso que todas as escolas tiveram de definir para por em prática ao longo dos próximos anos.