Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ deteve dois alegados incendiários, um dos quais ficou em prisão preventiva

  • 333

LUÍS FORRA / Lusa

No corrente ano, a Polícia Judiciária já identificou e deteve 69 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal

Um homem de 49 anos vai aguardar julgamento em prisão preventiva por suspeita de ter ateado um incêndio florestal, a 1 de setembro, em S. Miguel da Pena, Vila Real, anunciou esta manhã a Polícia Judiciária.

Em comunicado, a PJ dá também conta da detenção de um outro homem suspeito do mesmo tipo de crime, mas em Valpaços, Vila Real, referindo que em ambas as detenções contou com a colaboração da GNR.

De acordo com a PJ, no caso de S. Miguel da Pena, o incêndio, que deflagrou cerca das 21h de 1 de setembro, colocou em perigo área florestal e agrícola que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros e populares.

Segundo a Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real, o segundo detido terá ateado este domingo um incêndio em área florestal, em Serapicos, Valpaços. Segundo disse à agência Lusa fonte do Comando Nacional da GNR, o suspeito terá usado um isqueiro para atear um fogo que chegou a ganhar ainda "alguma dimensão" e obrigou à mobilização de um helicóptero para ser extinto.

O detido, pastor, vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

No corrente ano, a Polícia Judiciária já identificou e deteve 69 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.